SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Deputados homenageiam heróis da luta contra escravidão e discriminação

Sessão solene na Câmara dos Deputados homenageou Abdias do Nascimento e Francisco José do Nascimento, conhecido como o Dragão do Mar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/03/2014 16:20

Agência Câmara

Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados
Parlamentares e representantes da sociedade civil homenagearam nesta terça-feira (18), em sessão solene na Câmara dos Deputados, os heróis da luta contra a discriminação racial no Brasil, Abdias do Nascimento e Francisco José do Nascimento, o navegante negro conhecido como o Dragão do Mar. Também foram celebrados os 130 anos da abolição da escravatura no Ceará.

De acordo com o relato do deputado André Figueiredo (PDT-CE), com a seca de 1880, no Ceará, a migração começou a crescer. “Muitos tiveram que vender suas ‘posses’, entre eles os escravos. Chefiados pelo jangadeiro Francisco, os homens do mar cerraram fileiras contra o tráfico, impedindo a saída de escravos. A partir daí, Francisco Nascimento se dedicou ao abolicionismo, inclusive escondendo escravos em sua casa.”

Tráfico de escravos
Francisco do Nascimento, o jangadeiro que liderou o movimento, ao não permitir o tráfico de escravos cearenses para outras regiões do País, acabou por impedir a continuidade da escravidão no estado.

Na sessão solene, foi exibido um vídeo institucional sobre o Dragão do Mar. Conta o narrador do vídeo: “Foi por esse mar que meus antepassados foram trazidos da África. Lá por 1880, o Ceará estava na seca. Sustentar os escravos era caro, então muitos fazendeiros resolveram libertá-los. Em 1884, quatro anos antes do resto do Brasil, o Ceará libertou seus escravos. Sou Francisco José do Nascimento, o Dragão do Mar”.

Ações compensatórias
Outra parte do filme mostrou imagens do ex-deputado e ex-senador Abdias do Nascimento, ícone nacional contra o racismo no Brasil, professor emérito das universidades de Nova Iorque e do Rio de Janeiro, indicado ao prêmio Nobel da Paz e um dos maiores defensores das ações compensatórias para os negros.

Como lembrou o deputado André Figueiredo, Abdias nasceu nove dias após a morte do Dragão do Mar, “como se dissesse que um continuaria a luta do outro”. “E cabe a nós continuarmos a luta dos dois”, afirmou ainda o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, em discurso lido pelo deputado Mauro Benevides (PMDB-CE).

Lutas
O deputado Vicentinho, um dos autores do requerimento da sessão, disse que a vida de Abdias do Nascimento é a própria história de lutas contra o racismo. Preso pelo governo Getúlio Vargas (1930-1945), nos anos 1940, Abdias fundou o teatro experimental do negro, responsável pela formulação de diversas políticas públicas. Em 1950, realizou o 1º Congresso Nacional do Negro.

A deputada Benedita da Silva (PT-RJ) lembrou como, em sua convivência com Abdias no Parlamento, ele sempre se mostrou aguerrido e corajoso. “Criar uma frente negra brasileira em 1931, não deve ter sido fácil. Ao criar o teatro experimental do negro abriu as portas para o debate”, afirmou.
Tags:

publicidade