SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Camelinho, a bicicleta criada em Brasília com o jeitinho da capital

A bicicleta, criada entre 1970 e 1980, com curvas diferentes das produzidas pela indústria, estabeleceu uma identidade com a cidade e uma relação de afeto com os donos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/04/2014 15:00

Roberta Pinheiro

Daniel ferreira/CB.D.A Press
Tipicamente brasiliense, ela nasceu da mistura de um pai que veio de um canto do país com uma mãe que migrou de outro extremo. Contemporânea do choro da capital, arrebatou o coração dos candangos de todas as idades. Não tinha um que não se encantasse com seu charme e curvas diferenciadas. Foi nos anos 1970 e 1980 que ela fez história e, hoje, reaparece pelas ruas de Brasília todos os fins de semana. A camelinho ou nuvenzinha é uma quarentona com cara de nova. Uma bicicleta produzida exclusivamente em Brasília e que ganhou a cara e o jeito da cidade. Para os amantes da bike, ela é um item único.

Leia mais notícias de Cidades

“Desde moleque, aqui em Brasília, a gente via o pessoal andando de camelinho pela Asa Sul e pela Asa Norte. Sempre tive curiosidade, mas me apaixonei mesmo depois que ganhei a primeira de presente”, conta o produtor e DJ André Fonseca, 41 anos. De maneira despretensiosa, André criou a comunidade Nuvem Clube de Brasília em uma rede social e se surpreendeu com a repercussão. Começou, em 2008, com alguns amigos postando umas fotos. Hoje, o grupo reúne 907 membros. Para André, uma das melhores características da nuvenzinha é a possibilidade de ela ganhar a cara do dono. “Cada um quer pintar a sua de uma cor. Raramente, você vê uma nuvem igual a outra. Isso cria um vínculo muito forte.”

Os nomes camelinho e nuvenzinha caíram no gosto da cidade e se transformaram em gírias tipicamente brasilienses. “Tem a ver com a arquitetura daqui. Brasília é toda plana e a camelinho foi feita para andar aqui. Ambas se assemelham no conceito de pedalar para todos os lugares, de ser confortável e prática”, justifica André.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

publicidade