SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Admiradores das aves

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/04/2014 17:00 / atualizado em 28/04/2014 11:11

Ana Rayssa

Hoje, comemora-se o dia do observador de aves. A data faz alusão à carta de Pero Vaz de Caminha, que, quando chegou ao Brasil, se encantou com os pássaros da terra e dedicou uma parte do texto enviado ao governo português à riqueza da fauna de asas. Para homenagear aqueles que dedicam parte tempo a esses animais, o Parque Nacional de Brasília recebe, até 25 de maio, uma exposição de fotos de aves do cerrado. As imagens foram captadas por membros do grupo Observaves, que conta com a participação de 250 integrantes do Distrito Federal e do Entorno.

Para a exposição, foram escolhidas 13 imagens. São cliques de exemplares raros e difíceis de serem fotografados. É o caso da coruja preta. O estudante de biologia Bruno Morais, 17 anos, conta que, para conseguir fotografar a ave, teve de monitorar os hábitos dela. Para isso, ele e um guia foram até a Floresta Nacional durante a noite. Observaram que, nesse horário, ela saía para caçar morcegos e, portanto, a imagem tinha que ser feita antes. Voltaram outro dia e conseguiram a foto. “Primeiro, eu localizei o bicho na floresta. Depois, tive que ir com cuidado com a lanterna para encontrá-la sem que ela se dispersasse com a luz”, explica Bruno, o mais jovem integrante do Observaves.

A aposentada Cida Copriva, 68 anos, não foi para o meio do mato para fotografar o pica-pau verde barrado. O pássaro sempre se exibia na janela dela, na 414 Sul. “Só que, quando eu pegava a câmera para fotografá-lo, ele já tinha ido embora. Um mês atrás, por volta das 12h30, meu marido viu o pássaro e, depois de muito tentar, consegui tirar a foto dele que agora está na exposição”, conta, orgulhosa.

Dedicação

Segundo o organizador da exposição, Tancredo Maia, 67 anos, todas as fotos que compõem a exposição são de espécies típicas do cerrado, e as imagens foram captadas no DF e no Entorno. O guaracava de barriga amarela retratado por Tancredo, por exemplo, foi encontrado no Parque Olhos D’Água. “A gente gosta de observar os pássaros, ver como eles se comportam, e de guardá-los em imagens”, explica. O grupo de observadores identifica as espécies e elabora listas e registros fotográficos com o objetivo de ajudar a população a conhecer as aves. (FM)

Tags:

publicidade