SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Entidade esclarece sobre "pagode"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/05/2014 13:30 / atualizado em 23/05/2014 12:02

Causou polêmica a notícia de que a Fifa detém, até o fim deste ano, o uso exclusivo da palavra “pagode”. Em resposta ao Correio, ontem, a entidade se posicionou sobre o caso. “A Fifa esclarece que não tem a intenção de impedir que terceiros utilizem a palavra ‘pagode’, a não ser que seja para a nomeação de uma fonte tipográfica ou em casos que tal palavra seja utilizada com o objetivo de associar uma determinada empresa, comercial ou publicitariamente, com a Copa do Mundo de 2014”, comunicou o departamento de imprensa da federação.

A fonte “pagode” foi criada por um artista contratado pela Fifa especificamente para uso no Mundial, sendo utilizada nos produtos e documentos oficiais da competição. Segundo o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), foram registrados 236 pedidos de proteção para uso comercial pela Fifa, direito previsto na Lei Geral da Copa, que vale até o fim deste ano. Entre esses pedidos, estava o da fonte tipográfica chamada “pagode”. Com ele, a entidade pediu também o registro de alto renome, que garante à federação o direito sobre qualquer utilização comercial também da palavra.

À exceção do termo, a maioria dos elementos registrados para uso exclusivo da Fifa são logomarcas, banners, cartazes, slogans e todo tipo de publicidade referente ao Mundial, incluindo, por exemplo, a taça da Copa e o nome e a imagem da mascote Fuleco. Estão protegidas marcas normativas, figurativas e mistas. As normativas só contêm texto; as figurativas, imagens; e as mistas, figuras e expressões.

236
Número de pedidos de proteção para uso comercial da Fifa registrados no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI)
Tags:

publicidade