As aparências enganam

Em Malévola, a gente fica sabendo o outro lado da história da Bela Adormecida e que nem todas as vilãs nascem malvadas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/06/2014 13:00 / atualizado em 02/06/2014 10:32

Ana Paula Corradini


 (Disney/Divulgação) 

Era uma vez uma princesa amaldiçoada por uma bruxa: quando fizesse 16 anos, Aurora ira furar o dedo em uma roca de fiar e morrer! A garota só seria salva se recebesse um beijo de seu verdadeiro amor. E tudo por causa de uma feiticeira vingativa que simplesmente resolveu jogar essa praga na menina porque não tinha sido convidada para o batizado dela. A história da Bela Adormecida todo mundo já conhece, mas será que foi isso mesmo que aconteceu? Em Malévola, que estreou na última  quinta-feira, a história é contada pelo ponto de vista de uma das vilãs mais famosas dos contos de fadas: a própria bruxa Malévola, e a gente vê que não foi bem assim. Saiba mais aqui.

A atriz Elle Fanning: no papel de Aurora (Frank Connor/Disney) 
A atriz Elle Fanning: no papel de Aurora

Fada incompreendida
A imagem que a gente tem de Malévola é daquela feiticeira magrela e com jeitão de urubu do filme da Disney de 1959. Mas você sabia que, antes de ficar famosa como bruxa, ela era uma fada — e tinha até asas? Malévola sempre protegeu o reino da floresta e as criaturas que vivem por lá, até um ato de traição transformar seu coração em pedra para sempre — e ela se ver obrigada a se vingar do rei Stefan, o pai da princesa Aurora. O que será que aconteceu, hein?


Atenção, mamães e papais
Com toda essa história de bruxaria e um clima bem sinistro, Malévola não é recomendado para menores de 10 anos. Então, é melhor deixar os caçulas em casa desta vez.
 (Bruna Furlani/CB/D.A Press) 

Elisa Domingos de Oliveira, 11 anos

O filme é muito bom! É bem diferente de outras histórias da Bela Adormecida. Apesar da aparência, a Malévola não dá medo. Na verdade, ela é bem legal com a Aurora e é como uma fada madrinha — mais responsável que as outras fadinhas engraçadas. A Aurora e a Malévola ficam tão amigas que a mocinha até quer morar com ela na floresta. A Malévola é do bem e só ficou malvada porque o rei fez algo ruim contra ela. Eu dou nota 9,5 ao filme.  Vale a pena assistir.
Quem é quem


 (Frank Connor/Disney) 

Aurora
Mais conhecida como Bela Adormecida, ela é uma menina curiosa e que aprende a gostar do reino da floresta quase tanto quando a própria Malévola. Quando Aurora fica dividida entre seus amigos da mata e o reino dos humanos, que um dia vai herdar como rainha, a feiticeira é obrigada a tomar uma decisão drástica.

 

Rei Stefan

Dá para acreditar que o pai de Aurora e Malévola são amigos de infância? Quer dizer, eram, né? Stefan vem do reino dos humanos, que fica bem pertinho do reino da floresta da feiticeira. Em sua ambição para chegar ao trono, ele faz de tudo para se tornar rei — até mesmo sacanear os amigos.

 

Diaval
O servo leal de Malévola consegue se transformar em qualquer coisa que a dona deseje. O que será que ele e aquele corvo que sempre acompanha a feiticeira têm em comum?

 

As fadinhas

No filme de 1959, as fadinhas que têm de cuidar de Aurora até a princesa completar 16 anos são Flora, Fauna e Primavera. Nessa versão modernosa, elas são Knotgrass, que é mandona, anda sempre de mau humor e é a chefe das outras duas; Flittle, uma fadinha da flor azul e que vive cercada de borboletas; e Thistlewit, a mais novinha e empolgada — e, segundo as más línguas, bem infantil. As três não têm a menor experiência e vão encarar esse desafio com tudo.
Você sabia que...


— Angelina Jolie pode ser a bruxa da história na pele de Malévola, mas a filhinha dela Vivienne Jolie-Pitt fez o papel da princesa Aurora criancinha? Pelo jeito, ela foi a única criança a não ficar morrendo de medo da mãe durante as filmagens.

— Malévola foi lançado exatamente no mesmo dia do 55º aniversário do filme A Bela Adormecida, da Disney?


Quem conta um conto...
... aumenta um ponto! Não é à toa que dizem isso por aí: a história da princesa dorminhoca foi criada pelo escritor francês Charles Perrault em 1696 e era bem diferente. Para começar, a princesa não tinha nome. Na verdade, Aurora é o nome da filhinha que ela teve com o príncipe na história original. No conto francês, a princesa também se dava melhor no batizado, pois ganhava presentes de nada menos que seis fadas — e não só três, como na versão da Disney: beleza, comportamento de anjo, graça, um supertalento para dançar, um hipertalento para cantar e um megatalento para tocar qualquer instrumento musical! Ela tinha que ter algum defeito, né? Ser dorminhoca!


A parte que ninguém conhece!
Na história original de Charles Perrault, pai de outras histórias superfamosas, como O gato de botas, Cinderela e Chapeuzinho Vermelho,  a sogra da princesa  é uma ogra e quer comer os netos, Aurora e Dia! Que destino, hein, princesa? Ainda bem que o final de Perrault também é feliz!
 


 
Tags: