Escola Parque resiste

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/06/2014 11:19 / atualizado em 03/06/2014 11:22

Irlam Rocha Lima

Entre as décadas de 1970 e 1980 a 507/508 Sul viveu tempos de grande efervescência cultural. Os teatros da Escola Parque, Galpão e Galpãozinho eram palcos concorridíssimos, por onde passaram espetáculos variados, de artistas brasilienses — alguns em início de carreira — e nomes consagrados nacionalmente, que reuniam expressivas plateias paras assisti-los.

O Teatro da Escola Parque, por exemplo, acolheu peças como A morte do caixeiro viajante, protagonizada por Paulo Autran, uma temporada da revolucionária trupe Asdrubal Trouxe o Trombone, a primeira edição do Projeto Pixinguinha e o show de lançamento de LP de estreia da Legião Urbana. Serviu, também, de sede do Cine Clube Nelson Pereira dos Santos.

Atualmente, aquele espaço mantém-se em atividade, graças à parceria existente entre a Associação de Pais e Mestres da Escola Parque a companhia teatral Néia e Nando e a produtora Canal Só 1 Minuto, que ocupam a grade de programação do teatro com a montagem de sucessivas comédias e musicais — esses voltados para o público infantil e infantojuvenil.

Há 15 anos, a Cia. Néia e Nando ocupa o Teatro da Escola Parque, nos fins de semana, para a encenação das peças que produzem — geralmente remake de famosos musicais da Broadway, como O Mágico de Oz, A bela e a fera, Aladim, Os Saltimbancos e O rei Leão — que acaba de sair de cena. A partir do dia 7, entra em cartaz Os 3 Porquinhos, com apresentação aos sábados e domingos, às 17h.

 Nando Villardo revela que a maioria dos atores do grupo são oriundos do curso de formação que a companhia mantém regulamente, com aulas em salas da escola, na 507 Sul. “Atores formados em nossos cursos hoje brilham em peças e musicais de sucesso no eixo Rio São Paulo, como Crazy for you (de Cláudia Raia), Gaiola das loucas (de Miguel Falabela)”, acrescenta. “Outro dos nossos objetivos é a formação de plateia; e temos obtido êxito com isso”, ressalta.

Segundo Nando, a contrapartida para o uso do teatro se dá com manutenção das instalações. “Quando passamos a utilizar o teatro, providenciamos nova pintura e reajustes no sistema de sonorização, além da instalação de cortinas. Recentemente, a produtora Canal Só 1 Minuto se juntou a nós nessa parceria com a Associação de Pais e Mestres da Escola Parque (APM).”

Bernardo Felinto, ator e fundador do grupo De 4 é Melhor, atualmente no elenco da novela Malhação, da TV Globo, se associou, em abril do ano passado, ao roteirista e diretor Flávio Nardelli, na Canal Só 1 Minuto, produtora que cria vídeos de humor e de teatro para a internet e produz peças teatrais.

Novo saguão
Como parte da parceria com a APM da Escola Parque, Bernardo conta que a Canal Só 1 Minuto e a companhia Néia e Nando providenciaram a instalação do sistema de ar-condicionado do teatro, que era um dos benefícios mais solicitados, “principalmente pelos espectadores”. As duas produtoras são responsáveis, ainda, pelo novo visual do saguão do teatro.

Diretor da Escola Parque, o professor Paulo César Valença Lima destaca a contribuição que Néia e Nando e a Canal Só 1 Minuto trouxeram para o teatro. Ele diz que além dos benefícios proporcionados às instalações — contrapartida da ocupação do espaço —, “15% do borderô de cada espetáculo apresentado são destinados à APM da escola”. Já as poltronas que hoje existem no teatro vieram do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, doadas pela Secretaria de Turismo. “Mas é bom deixar claro que o teatro sempre teve uma estrutura para funcionamento, incluindo equipamentos de sonorização e iluminação — mesa de som, projetor, holofotes, canhão de luz, telão, microfones — obtidos com recursos da Secretaria de Educação.”

DEPOIMENTO »

O começo em casa


A Escola Parque me traz boas recordações. Foi lá que me alfabetizei. Anos mais tarde estaria no palco do teatro da escola com a Legião Urbana. Foi um momento de grande emoção, pois estávamos diante do público da nossa cidade, mostrando nosso primeiro trabalho gravado — o disco de estreia. Lembro-me de que o Toninho Maia era quem operava o som e tanto o show quanto a passagem de som foram registrados em fita cassete. Foi marcante também o fato de logo depois do show termos deixado Brasília para nos radicarmos no Rio de Janeiro.

Dado Villa-Lobos é músico

 

 

Tags: