SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Prêmios em prosa e verso

Meninas de 13 a 17 anos ficam em primeiro lugar em concurso do DF do qual participaram 597 estudantes do ensino fundamental e médio de escolas públicas, particulares e até do EJA. Vão ganhar notebooks, dinheiro e ver a obra publicada em coletânea

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/08/2012 10:14

Quase 600 estudantes de ensino fundamental e médio do Distrito Federal escreveram poesias, contos e crônicas para concorrer ao 1º Concurso Estudantil Brasília de Literatura. Alunos de qualquer escola pública, particular ou de Educação de Jovens e Adultos (EJA) podiam participar, desde que escrevessem um texto original sobre o poder transformador do livro e da leitura. O prêmio foi lançado em abril, durante a 1ª Bienal Brasil do Livro e da Leitura, evento promovido pelas secretarias de Educação e de Cultura do DF e o resultado, divulgado em 26 de julho.

Quem se apoderou da primeira colocação em todas as categorias foram as meninas: no ensino fundamental, Johanny Cássia Cavalcanti, 13 anos, 8ª série do Centro de Ensino 405, no Recanto das Emas, melhor conto; e Carolina Lima, 13 anos, 8ª série do Colégio Ideal, em Taguatinga, melhor poesia. No ensino médio, foram selecionadas Carolina Pavan, 17 anos, 3ª série do Colégio Galois, no Plano Piloto, melhor conto; e Maria Letícia Bessa, 15 anos, 1ª série do Colégio Marista, Plano Piloto, melhor poesia.

Estudantes de ensino fundamental (6º ao 9º ano) e médio competiram separadamente. Os melhores do ensino fundamental ganham notebooks. Além de laptops, os três primeiros colocados de cada categoria do ensino médio receberão, respectivamente, R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1 mil.

O coordenador do concurso, Valter Silva, explica os objetivos: “É um incentivo para potenciais escritores que não têm onde publicar os trabalhos. Prêmios divulgam e motivam novos autores. Participaram também alunos do EJA de penitenciárias. O 3º melhor em poesia do ensino fundamental (Paulo Cesar Pereira), por exemplo, é interno da Papuda. Isso mostra o poder transformador da leitura e da escrita”. O concurso vai ser realizado periodicamente e deve abrir novas categorias, como a de ensino superior.

Os 80 melhores trabalhos serão publicados no livro 1º Concurso Estudantil Brasília de Literatura — Poesias, contos e crônicas, em edição de dois mil exemplares distribuídos durante a premiação, que vai ocorrer na Biblioteca Nacional, em 4 de setembro, às 9h. Haverá um café da manhã aberto ao público. Os livros também irão aumentar o acervo de bibliotecas do DF.

Antonio Cunha
 

Conheça as vencedoras

Categoria conto/crônica
Ensino fundamental


Johanny Cássia Cavalcanti tem 13 anos e cursa o 8º ano no Centro de Ensino Fundamental 405, no Recanto das Emas. Com o conto Leite, algodão e perfume, ela conquistou o primeiro lugar na categoria conto/crônica do ensino fundamental. “Escrevi um conto fantástico. É um estilo em que o leitor fica imaginando se aquilo aconteceu mesmo ou não”, explica. Na história, um australiano perde os pais e tem que ir morar com os tios, donos de uma livraria. O clímax da narrativa ocorre depois que ele encontra um livro com uma única figura, em que o pai do protagonista o segura no colo, ainda bebê. O personagem junta toda a raiva que tem por ter ficado órfão, entra na fotografia e causa uma tragédia. A determinada e criativa Johanny ficou sabendo do concurso pela internet. “Não foi a escola que me incentivou, não. Escrevi esse conto em apenas meia hora”, conta. Ela é fã dos Beatles, pinta, joga basquete e luta caratê (faixa vermelha). “Eu gosto de narrativas que têm tragédia no fim. Quero ser escritora como hobby”, explica a estudante, que se diz “durona” e séria. Johanny foi aluna destaque em todos os anos na escola e se orgulha de ganhar um prêmio de literatura.

Dicas de escrita
“Antes de começar o conto, escolha os nomes dos personagens e quem eles são. Depois, deixe sua imaginação fluir e vá escrevendo. É bom escrever sem planejar a história para ser um texto espontâneo. É aconselhável deixar outras pessoas lerem para que elas possam dar sugestões para você melhorar, mas só aceite críticas depois de perguntar o motivo delas.”

Sugestão de leitura
O demônio e a srta. Prym, de Paulo Coelho, e Dom Casmurro, de Machado de Assis

Categoria poesia
Ensino fundamental


Carolina Lima, 13 anos, aluna do 8º ano do Colégio Ideal, de Taguatinga, foi escolhida a melhor escritora de poesia do ensino fundamental. Ela criou o poema Prece à leitura!. “A leitura serve para divertir, trazer conhecimento e melhorar o mundo. Acho que minha poesia foi escolhida porque estava rica de ideias e na forma”, orgulha-se a ganhadora. A jovem é estudiosa e organizada e, no tempo livre, gosta de cozinhar, caminhar, ler e escrever. “Comecei a escrever quando era pequena como uma forma de passatempo. Escrevia sobre qualquer coisa que vinha à cabeça. Então, fiquei muito feliz com o concurso, não esperava ganhar. Com certeza, o reconhecimento dá um ânimo para continuar.”

Dicas de escrita
“Leia jornais e revistas semanais para estar bem informado. Pesquise, leia e conheça bem o assunto sobre o qual vai escrever antes de começar a redigir.”

Sugestão de leitura
O amor nos tempos do cólera, de Gabriel García Márquez.

Categoria conto

Ensino médio

O melhor conto do ensino médio foi Histórias descartadas, de Carolina Pavan, 17 anos, aluna da 3ª série do Colégio Galois. A obra é sobre uma menina que trabalha no lixão e que tem o hábito de catar livros para serem distribuídos entre a comunidade. Carolina fala sobre a alegria de ganhar o concurso: “Foi uma surpresa saber que meu conto estava entre os melhores. É muito bom ser reconhecida, dá mais empolgação para escrever. Isso mostra que qualquer um que se dedica pode ter sucesso”, imagina.
Considerada uma garota carinhosa e objetiva, ela quer cursar direito na Universidade de Brasília (UnB) ou na Universidade de São Paulo (USP). Por isso, estuda muito para o vestibular. No tempo que sobra, ela escreve um blog com duas amigas e luta krav magá (defesa pessoal israelense).

Dicas de escrita
“Leia muito, porque lendo você ganha bagagem cultural e de conhecimento para escrever bem. Planeje a história antes de passar para o papel. Tenha cuidado com a revisão gramatical: não adianta nada um texto maravilhoso, se tiver erros de português. Por fim, escreva para se expressar e não para impressionar.”

Sugestão de leitura
O blog de Carolina Pavan e amigas, www.lastoftheamericangurls.tumblr.com, Capitães da areia, de Jorge Amado, e Anna Karenina,
de Liev Tolstói.

Categoria poesia

Ensino médio

A melhor poesia do ensino médio foi de Maria Letícia Bessa, 15 anos, da 1ª série do Colégio Marista João Paulo II. No poema A devoradora de palavras, a aluna faz um passeio pela infância, vivida em Fortaleza: “A poesia é a história rimada de uma menina que adorava ler porque entrava em outra dimensão com a mente”, explica. O texto não é explícito e traz uma interpretação nas entrelinhas: “Na poesia, eu não falei que a leitura é importante por um motivo específico, deixei livre para o leitor se identificar e entender”. Maria Letícia se considera criativa, responsável e original, gosta de fazer rimas e tem vontade de lançar um livro no futuro.

Dicas de escrita
“Leia muita poesia, porque você aprende a escrever lendo. Se for preciso, apague tudo o que você escreveu e refaça até se aperfeiçoar. Escreva sem pressão.”

Sugestão de leitura
Médico de homens e de almas, de Taylor Caldwell

Tags:

publicidade

publicidade