SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

IDEB

Notas do Distrito Federal ficam acima da média

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/08/2012 12:09 / atualizado em 15/08/2012 12:44

Paula Filizola , Grasielle Castro /Correio Braziliense

Daniel Ferreira/CB/D.A Press
Os dados do Ideb 2011 colocam o Distrito Federal entre as melhores unidades da Federação. Os indicadores do ensino fundamental e médio estão acima do resultado nacional. No ensino médio, porém, apesar de estar além da média do país, as escolas do DF não conseguiram atingir a meta estipulada pelo Ministério da Educação (MEC) de 3,9, ficando com 3,8. No entanto, o secretário de Educação do GDF, Denilson Bento da Costa, defende que os investimentos atuais contribuirão para resultados melhores na próxima edição do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), em 2013.


No DF, um exemplo de excelência é o Colégio Militar de Brasília (CMB), que ficou na 21ª posição do ranking das melhores instituições públicas do país, com nota de 6,7. O resultado é bem superior à média nacional das escolas — em torno de cinco pontos. O CMB foi ainda o único colégio público localizado no Distrito Federal listado entre os 500 melhores analisados pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), do Ministério da Educação, no ano passado.

O chefe da Divisão de Ensino e subdiretor do CMB, coronel Samuel Horn Pureza, afirmou que o Ideb não é o foco principal do colégio. “A avaliação não é um fim em si, é uma consequência de um trabalho feito diuturnamente”, afirma. O coronel ressalta que os bons índices em avaliações também são resultado do foco no ensino preparatório, que visa qualificar os alunos da melhor forma possível. “Temos tido muitas felicidades em ver alunos em grandes universidades do Brasil e do exterior. Isso nos gratifica bastante e temos um arcabouço de atividades que contribuem para isso, como o estímulo à participação em olimpíadas. Todos acham o resultado maravilhoso, mas também sabemos dos problemas que temos e que podemos melhorar bastante”, diz. O CMB é administrado com recursos do Exército e não integra oficialmente a rede pública de ensino do Distrito Federal.

Daniel Ferreira/CB/D.A Press
No Centro de Ensino Fundamental 104 Norte — escola entre as 20 mais bem melhores colocadas do DF —, os próprios estudantes enxergam que o sistema de ensino precisa evoluir. A aluna do 7º ano do CEF 104 Norte Jéssica Lopes, 12 anos, ressalta que, apesar de já ter ouvido que a escola brasileira é melhor que a de outros países, a instituição, para ela, está bem abaixo do esperado. “Faltam novos métodos de ensino e até mais paciência e preocupação dos professores”, destaca. A colega de sala de Jéssica Ana Júlia dos Santos, 12, concorda. “Falta um acompanhamento melhor. Os professores ensinam bem, mas, às vezes, é preciso mais atenção.” As meninas reconhecem, porém, que parte da culpa é dos próprios estudantes, que nem sempre estão interessados nos conteúdos ou prestando atenção às aulas.

 

Para o secretário de Educação do GDF, a reformulação da grade curricular e mais investimentos em educação de tempo integral são a solução para obter resultados mais consistentes. Segundo ele, os dados do Ideb 2011 refletem resultados de 2010, ano em que o DF trocou de secretário de Educação seis vezes. “Em 2010, tivemos mais de uma vez a interrupção de questões pedagógicas, isso atrapalha a continuidade de políticas”, justifica. A expectativa do secretário para a próxima edição do Ideb, em 2013, é de um crescimento nos indicadores. “Estamos investindo para isso, com capacitação de professores, além de programas específicos para melhorar o desempenho dos alunos”, garante.

 

publicidade

publicidade