Após protesto de aluna no Facebook, escola passará por reformas

A secretária de Educação de Florianópolis prometeu melhorias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/08/2012 19:38 / atualizado em 28/08/2012 19:39

A iniciativa da menina Isadora Faber, 13 anos, de criar uma página no Facebook para denunciar os problemas de infraestrutura de sua escola surtiram efeito. A secretária de Educação de Florianópolis (SC), Sidneya Gaspar de Oliveira, determinou, em reunião na tarde desta terça-feira (28/8), que será feita uma reforma na Escola Básica Maria Tomázia Coelho, onde Isadora estuda.

Em nota, a secretária elogiou a atitude da aluna e destacou que a página Diário de Classe funciona como uma espécie de “ouvidoria” para auxiliar a comunicar os problemas. Sidneya anunciou ainda que o professor temporário de matemática da escola, que foi alvo das críticas de Isadora, está passando pelo julgamento de uma comissão formada por membros da secretaria e da instituição e que pode ser substituído.

Ao defender-se das alegações de que a escola estaria tentando censurar a página, a diretora da instituição, Liziane Diaz Farias, declarou que só houve uma conversa com a mãe de Isadora, Mel Faber, em relação à exposição de imagens dos alunos. Liziane também assumiu publicamente as falhas da administração e garantiu que a prefeitura havia realizado anteriormente alguns reparos na Maria Tomázia, como a troca de luminárias, mas que o vandalismo prejudicou a manutenção.

Repercussão

Em julho, Isadora Faber criou a página Diário de Classe com objetivo de protestar contra os problemas de sua escola. Com a divulgação na imprensa o perfil saltou, de seis mil curtidas, para 116 mil. A mãe da menina, Mel Faber, disse ainda não ter parado para pensar nas consequências do ato da filha. “Vou ser honesta: ainda não tive tempo de avaliar até onde a Isadora chegou. Mas confesso que fiquei surpresa”, afirmou.
Tags: