SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Parque da Cidade é palco do II Circuito de ciências

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/09/2012 17:31 / atualizado em 28/09/2012 13:03

Janine Moraes/CB/D.A Press.

 

 

Terminou hoje o II Circuito de Ciências, que levou alunos e professores para o Pavilhão do Parque da Cidade para expor os 294 trabalhos selecionados para a etapa distrital. Desses, serão escolhidos 35 para representar o Distrito Federal na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, marcada para o período de 15 a 21 de outubro.

As turmas das séries iniciais do Centro de Ensino Fundamental 101 do Recanto das Emas levou o projeto Bolhas de Sabão. A partir de uma brincadeira comum para a idade, as crianças desenvolveram o trabalho abordando aspectos como a organização das moléculas no processo de formação das bolhas.

Gustavo Henrique Estevão da Silva, 8 anos, está no segundo ano do ensino fundamental e explica a semelhança entre a forma das bolhas, que são geralmente arredondadas, e a dos astros: “O  Sol e a  Terra têm o mesmo formato de uma esfera, porque é a forma mais simples da natureza”. O professor do Bloco Inicial de Alfabetização (BIA) Hudson Leonardo França conta que houve uma preocupação em trabalhar assuntos lúdicos, que fossem do interesse dos alunos, para facilitar o processo de compreensão do projeto. “Trabalhamos Bolhas, de Cecília Meirelles, e, a partir do questionamento sobre o poema, iniciamos o projeto. Depois de despertados para a ciência, notei que eles ficaram mais críticos.”

Aluna do 5º ano da Escola Classe 325 de Samambaia, Thaiane Brasilino da Silva Souza, 11 anos, recebe os visitantes do estande Preservar é de nossa natureza. O trabalho exposto é fruto do esforço coletivo de alunos, professores e comunidade. Eles cultivam 12 canteiros de hortaliças, de verduras, de ervas medicinais e de  temperos. Tudo o que é usado para decorar a horta é reciclado, expandindo conhecimento ecológico para todos. “Esse é o ambiente que queremos. Preservar o meio ambiente é uma coisa boa”, conta Thaiane.

Aprendizado
Produtores de uma iniciativa social voltada às pessoas em situação de rua e dependentes químicos, estudantes do primeiro ano do ensino médio do Centro Educacional 7 de Taguatinga saem às ruas em busca das histórias de vida dessas pessoas. Marcos Gois, Isabelle Freitas e Emanuella Lobo entregam cobertores e agasalhos doados em troca de ouvir o que cada um tem a contar. O trabalho é abordado interdisciplinarmente, incluindo as disciplinas de biologia, de química e de sociologia.

Para jovens de 16 anos como eles, o atalho para o consumo de álcool e drogas é bem mais próximo. Segundo o vice-diretor da escola, Genovaldo Ximenes, o projeto é estimulado porque aproxima os alunos da realidade. “Hoje mesmo me perguntaram se eu usava alguma coisa. Eu disse que não precisava disso para curtir”, conta Marcos. A próxima ação do projeto está planejada para novembro, mas precisam de mais voluntários e a divulgação tem sido feita na escola e nas redes sociais.

Participação

Foram aproximadamente 250 expositores das 14 regionais de ensino, apresentando seus projetos seguindo a declaração da Assembleia Geral das Nações Unidas, que estabeleceu 2012 como o ano  Internacional da Energia Sustentável para Todos. O resultado com os escolhidos para a etapa nacional deve ser divulgado na próxima semana.

A mostra tem por objetivo socializar experiências interdisciplinares e inovadoras realizadas nas escolas, em todas as modalidades do ensino básico. O tema desta edição do circuito é Sustentabilidade, economia verde e erradicação da pobreza.


 

 

Tags:

publicidade

publicidade