SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Censo Escolar mostra crescimento em creches e estagnação no ensino médio

Enquanto o número de crianças de até 3 anos atendidas aumenta, vagas para jovens de 15 a 17 anos não evoluem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/12/2012 12:09

Os dados do Censo Escolar 2012 publicados no Diário Oficial da União pelo Ministério da Educação mostram que o atendimento em creches no Brasil cresceu 10,5% na comparação com 2011. A etapa que atende crianças de até 3 anos de idade chegou a 2.540.791 matrículas. A expansão no número de matrículas é de 476 mil, desde 2010 — crescimento de 23% nos dois últimos anos.

O Censo Escolar de 2012 foi elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), e apresenta dados sobre a qualidade do ensino básico em todo o país, desde a educação infantil até a voltada aos jovens e adultos.

O aumento no número de matrículas em creches pode ser atribuído ao reconhecimento desta fase escolar como a primeira etapa da educação básica. Até dezembro de 2012, foi aprovado o financiamento para 5,5 mil creches. Destas, 751 já foram entregues, 569 estão em funcionamento; outras 2.740, em fase de construção; 2.019 na etapa de planejamento e licitação e 50 foram canceladas.

Por outro lado, as matrículas no ensino médio permanecem estagnadas. O Censo Escolar deste ano mostrou que 8.376.852 estudantes de 15 a 17 anos estavam matriculados em 2012, redução de 0,3% em relação ao ano passado (8.400.689 matrículas).

A diminuição das matrículas acontece ao mesmo tempo que cresce o número de alunos com idade para cursar o ensino médio. No início da série histórica do Censo Escolar, em 2007, eram 10.262.468 jovens em idade escolar (8.369.369 alunos matriculados). Já em 2011, último ano com esse dado, o país contava com 10.580.060 pessoas na faixa etária de 15 a 17 anos. Isso pode significar que há, no momento mais jovens em idade escolar que estão fora da escola.

Outro dado relevante revela que a maior parte dos alunos brasileiros está na rede estadual, com 7.111.741 estudantes, seguida pela rede privada com 1.066.163 alunos. O sistema federal, soma 72.225 alunos. A rede municipal registra o menor número, com 72.225 matrículas.

Tempo integral
Com a melhoria no índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb), o ensino fundamental se destaca na avaliação feita à educação em etempo integral, que é definida como uma jornada escolar superior a sete horas de duração. O censo indica que a rede pública, em 2012, registrou 2,1 milhões de matrículas nesta modalidade, o que significa crescimento de 26,6% em relação a 2011. As matrículas na educação integral representam 8,3% do total de estudantes no ensino fundamental.

A educação profissional e tecnológica também apresentou uma tendência de crescimento. Foram contabilizados 1,3 milhão de matrículas em 2012. O crescimento é de 8,9% em relação ao ano anterior.

A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica expandiu nos últimos anos o número de matrículas em 92% e ultrapassou a marca de 210 mil estudantes atendidos. Entre 2011 e 2012, a rede apresentou crescimento de 10,9% no número de matrículas. A participação da rede pública também tem registrado aumento. O índice chega a 53,5%, em total de 1,3 milhão de matrículas.

Tags:

publicidade

publicidade