SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Rede de ensino vai transformar cabelo de alunos em diamante

Joia fará parte de premiação que será concedida em homenagem a um brasileiro de destaque em 2012

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/01/2013 15:42 / atualizado em 23/01/2013 16:01

Cortar todo ou parte do cabelo assim que se recebe a notícia da aprovação em um vestibular é uma tradição seguida por estudantes em todo o país. Depois do corte, o fim que os fios levam é sempre a lata de lixo. No entanto, a rede Marista de ensino decidiu que as madeixas dos calouros da instituição deveriam ter um fim diferente. Brilhante. Os colégios que integram a rede homenagearão todos os estudante da instituição que passarem em vestibulares até o fim de janeiro deste ano cortando os cabelos dos alunos e transformando os fios em uma joia. Literalmente.

O diamante terá valor estimado em R$ 15 mil - um pouco abaixo de um similar original -, e será transformado em uma comenda, ou seja, uma homenagem a um cidadão ou organização que tenha contribuído significativamente para a sociedade ao longo de 2012. Todos os alunos vão participar da escolha do homenageado por meio de votação em redes sociais. A entrega do presente está marcada para março.

“Essa é uma forma de eternizar a passagem dos alunos pelo colégio e tornar cada vez mais claro que a recompensa por boas ações e esforço pode ser mais próspera do que se imagina”, afirma Fabiane Campana, gerente de marketing da rede Marista de colégios.

Colaboração brasiliense

A coleta das mechas de estudantes está sendo feita desde 14 de dezembro na instituição de ensino. Um caso similar é de Pelé: ele cortou o cabelo para fazer um diamante em homenagem à mãe, dona Celeste.

As mechas foram recolhidas até 17 de janeiro em algumas unidades dos colégios localizadas no Paraná, Goiás, São Paulo, Santa Catarina e Distrito Federal. No total, mais de 1,5 mil estudantes da instituição concorrem a vagas em universidades de todo o país, muitos deles já doaram as madeixas para a produção do diamante.

Uma delas foi Hegly Lemos Cavalcante, 17 anos, recém formada no ensino médio no Colégio Marista de Brasília. A espera do resultado da seleção da Universidade de Brasília (UnB), a aluna pretende cursar engenharia de petróleo no câmpus do Gama. “A gente se sente importante, como se transformasse mesmo o esforço do aluno em diamante”, afirma Hegly.

A aluna pretende indicar o nome de Joaquim Barbosa, ministro chefe do STF, para ganhar o presente precioso. Segundo ela, Barbosa provou que o problema da corrupção no Brasil pode ser combatido. O diamante será feito com cabelo de todos os alunos da rede Marista que passarem no vestibular, por isso, o corte de apenas uma pequena mecha de cabelo é necessário.


Transformação
Uma empresa brasileira será a responsável pela produção da pedra preciosa, que será feita a partir dos fios de cabelo dos alunos. A joia será produzida em um laboratório da companhia, na Espanha, e será obtida após uma combinação entre carbono, temperatura e pressão.

O cabelo é levado a um forno especial e o carbono presente nos fios é extraído em temperatura elevada. O material resultante é prensado até se transformar em uma pastilha de carbono que, colocada no interior de um equipamento de alta tecnologia, é submetida a uma grande pressão e temperatura. O resultado do processo é um diamante com as mesmas características físicas, químicas e óticas de uma pedra extraída da natureza.
Tags:

publicidade

publicidade