SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Em busca da felicidade

Um clássico americano recém-lançado no Brasil vai mexer com os sentimentos e com a imaginação da garotada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/05/2013 11:14 / atualizado em 27/05/2013 11:43

Gustavo Aguiar

Ed Alves
O livro-poesia A parte que falta fala de uma criatura que anda se sentindo meio incompleta e sai atrás de algo para preencher esse vazio. Descubra mais sobre essa clássica viagem literária de muito sucesso nos Estados Unidos e que chega agora ao Brasil.

Alegria total
No livro A parte que falta, um ser meio redondo, que se parece um pouco com uma pizza faltando um pedaço, anda se sentindo meio incompleto. Por isso, decide sair rolando em busca de algo capaz de acabar com essa sensação estranha. Na viagem, Grande O encontra amigos como uma simpática borboleta, um besouro muito veloz e uma minhoca bem conversadeira.

Ele descobre que há muitas outras partes espalhadas pelo mundo e que poderiam completá-lo. Algumas não dão encaixe perfeito. Outras, embora se encaixem com ele, estão muito bem sozinhas e não querem ser a parte que falta de seu ninguém. Mas há aquelas que cabem certinho.


Fala, turma!
Quando Sr. Incompleto encontrar sua parte faltante, será que a alegria será completa? O Super! reuniu uma turma que frequenta a Biblioteca Infantil da 104/304 Sul para discutir essa difícil questão. Diogo Batista, 6 anos, Eduardo Rocha e Helena Vital, 7, Artur Ferreira e David Peres, 8, e Thiago Batista, 9, soltaram o verbo.

 — A gente, que é gente de verdade, às vezes se sente meio vazio. Igual ao personagem redondo da história, lembra David.

— Acho que essa sensação pode ser um monte de coisa. Saudade de algo que foi embora, ou que não existe mais, por exemplo, sugere Eduardo. Quando a gente sente saudade ou está insatisfeito com alguma coisa e nem sabe explicar direito o que é, nosso coração fica apertado e sem saber o que fazer, completa o garoto.

— Tenho um gatinho que não pode mais morar comigo, e sinto muita falta dele, conta Helena. Mas aprendi que há outras coisas que me fazem feliz além do meu gatinho.

Filosofia para baixinhos
— Quando é falta de um parente que já morreu, por exemplo, a gente precisa dar um jeito. Porque não vai ter como encontrar com ele novamente, e você não pode ficar se sentindo vazio para sempre!, lembra Júlia.

Em A parte que falta, Grande O acaba descobrindo que a felicidade não está na coisa que preenche o vazio. O livro mostra que a gente pode ser feliz sem ter essa parte.

— O personagem fez uma viagem muito legal, cheia de aventura. Conheceu novos amigos e descobriu lugares em que nunca teria ido, resume Thiago. Acho que a felicidade está na procura pela parte que nos falta, e não na parte em si.

Eeeita galerinha inteligente! Haja filosofia!


A parte que continua
A história de A parte que falta, escrita em 1976, ganhou uma continuação que ainda é inédita no Brasil. Chama-se A parte que falta encontra o Grande O (em tradução livre). Quando se encontram, uma diz à outra:

— Eu esperava que talvez eu pudesse rolar com você.

— Você não pode rolar comigo, responde o Grande O, todo completo. Mas talvez você possa rolar sozinha.

Claro que um encontro tão inesperado desses promete muitas descobertas.


Imaginação poética
Uma história tão interessante como essa não existiria se não fosse a imaginação e o talento de Shel Silverstein. Ele foi um habilidoso ilustrador e exímio poeta americano, que escreveu inúmeras histórias para a garotada.

Os primeiros trabalhos de Silverstein foram publicados enquanto ele servia o exército durante a Guerra da Coreia. Logo seu talento chamou a atenção de revistas e editoras, que passaram a publicar seus desenhos simples e bem- humorados.

O primeiro livro que publicou para crianças foi Leocádio, o leão que mandava bala, em 1963. Logo depois veio A árvore generosa, que lhe deu enorme sucesso. Esses, além de outros três títulos, foram publicados no Brasil pela editora Cosac Naify.

Shel Silverstein morreu em 1999, mas continua vivo por meio de seus livros, que se tornaram verdadeiros clássicos em todo o mundo. Por isso mesmo que ele é a parte que completa essa história

Leia

A parte que falta
de Shel Silverstein
Editora Cosac Naify
112 páginas
R$ 45

 

 

 

Tags:

publicidade

publicidade