SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Rap alemão premiado

Jovens estudantes da rede pública vencem concurso internacional em outro idioma. A partir de uma música e de um refrão estabelecidos, escreveram uma letra em homenagem ao Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/08/2013 16:00 / atualizado em 22/08/2013 11:40

Sheila Oliveira

Breno Fortes
Há três anos, a oferta de um curso de alemão na rede pública de ensino do Distrito Federal atraiu poucas inscrições para formar turmas no Centro Interescolar de Línguas nº 1 de Brasília (CIL 1), única instituição pública a ofertar a modalidade na capital federal, na 907 Sul. O desconhecimento sobre cultura e língua germânicas contribuíram para a baixa adesão de alunos interessados.

Três professores da Secretaria de Educação (SEE-DF) percorreram, por mais de um ano, salas de aula do Plano Piloto com uma missão: conquistar interessados em aprender o idioma. “Visitamos diversas escolas para fazer a divulgação da língua alemã na esperança de despertar a curiosidade dos estudantes”, lembrou o professor Mário Araújo.

Em um dos locais percorridos, na 912 Sul, estavam os estudantes do Centro de Ensino Médio Setor Oeste (Cemso) Paula Cristine Rodrigues e Renan Almeida de Souza, ambos de 16 anos. Eles ouviram atentos a proposta e resolveram se aventurar. “Sempre gostei de aprender novas línguas e, depois que terminei o inglês, decidi estudar um novo idioma; achei que o alemão seria interessante”, contou Renan, morador de Samambaia. “De início, aceitei me inscrever para ajudar a fechar uma turma que ainda não tinha o número suficiente de alunos. Depois, encarei como um desafio e, ao mesmo tempo, diversão. Tenho facilidade em aprender língua estrangeira”, acrescentou Paula Cristine, moradora de Ceilândia Norte.

De acordo com o professor da dupla, os estudantes têm características essenciais para assimilar o novo idioma. “Eles têm desempenho acima da média. São interessados na língua, pesquisam sobre a cultura alemã e se propõem a participar de atividades em que são desafiados a treinar o vocabulário”, destacou Mário Araújo.
No primeiro semestre do curso, os estudantes conquistaram o primeiro lugar de um prêmio internacional. Eles participaram do concurso musical alemão Songwettbewerb: Eine kleine Pasch-Musik em homenagem aos cinco anos do projeto Escolas: uma parceria para o futuro (Pasch), que visa a incentivar o ensino da língua em outros países e conta com o apoio do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha em conjunto com o Goethe-Institut e o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico.

O trabalho de Paula e Renan concorreu com outros 50 projetos musicais de grupos de estudantes de diversos países. “Jovens do mundo inteiro que estudam a língua alemã como segundo idioma se inscreveram. Escolhemos a categoria em grupo, cujo número mínimo de participantes eram dois.  Não sabíamos que iríamos ganhar, já que o contato com a língua ocorre há menos de um ano, mas gostamos de participar, tudo foi uma grande diversão”, avaliou Renan.

Coletânea de CDs

Em cima de um refrão escrito previamente pelos músicos alemães Danger Dan e Sam Wise, os brasilienses compuseram um rap em que três estrofes (veja a primeira delas abaixo) falam sobre características da cultura brasileira, como o samba e o futebol, e cujas primeiras letras formam um acróstico: a palavra Brasilien, Brasil em alemão. O trabalho durou quase um mês e era desenvolvido após as aulas do curso. “Meus pais ficavam preocupados, porque chegava em casa tarde, mas não foi fácil compor em uma outra língua. Gastamos quase 60 horas para gravar a música”, revelou Renan.

O concurso exigia o envio da letra e do áudio em alemão. Para compor os versos da canção Pasch-song von CIL, Brasilia, os estudantes contaram com ajuda de um colega germânico que fazia intercâmbio na América Latina. “Ele nos ajudou a corrigir erros de concordância, de escrita e de pronúncia. O nome dele era Maxim, o sobrenome já é mais complicado lembrar. Trabalhamos por quase um mês na composição. Depois, ele foi embora e não pôde comemorar conosco o prêmio”, recordou Paula. “A experiência foi única, e a inspiração para aprender a língua aumentou ainda mais com essa experiência”, completou a estudante. O concurso previa um iPod shuffle ou uma coletânea de CDs com músicas atuais alemãs para os vencedores. Paula e Renan escolheram o segundo prêmio no intuito de aprimorar o idioma.

O idioma alemão tem o maior número de falantes na União Europeia e é o 11º mais utilizado em todo o mundo, com cerca de 170 milhões de pessoas. A língua parece ter caído no gosto dos brasilienses da rede pública de ensino. O CIL 1 é a única instituição pública do DF autorizada a ofertar o curso, que conta hoje com 350 alunos matriculados. Com duração de seis anos e dividido em 12 níveis semestrais, a iniciativa propõe formação continuada e preparação para curso universitário na Alemanha ou qualificação profissional. “O alemão é uma língua terciária na escolha dos alunos no momento de aprender um novo idioma. Mas, com toda certeza, é um diferencial para aqueles que investem no curso, com objetivo de agregar conhecimento no currículo para o mercado de trabalho”, explicou o professor Araújo.

Para a rede pública

Em setembro de 1975, o governo do DF criou a primeira escola de idioma para atender os alunos das escolas públicas e a comunidade. Mesmo depois da inauguração de outros centros de língua em regiões como Ceilândia, Taguatinga e Guará, a Secretaria de Educação se viu obrigada a restringir a oferta de vagas para a comunidade devido ao aumento da demanda de estudantes. Dessa forma, os cursos de língua estrangeira são exclusividade dos matriculados na rede pública de ensino do DF. O CIL (Centro Interescolar de Línguas)1 de Brasília tem 7 mil alunos atualmente.

Concerto gratuito

No próximo dia 27, às 20h, será inaugurado o festival 500 Anos de Música Alemã com o concerto do clarinetista alemão Sebastian Manz, no Teatro Nacional de Brasília. O evento, que terá entrada gratuita, faz parte da programação do Ano da Alemanha no Brasil. Manz se apresentará com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, sob a regência de Claudio Cohen.

Strophe 1

Hallo da draußen seid ihr auf Empfang?
Wir senden aus ‘nem andren Land.
- Und wo?
- Ich sage einen Buchstaben
- Ich gebe einen Tipp
- Ich sage B,
- Baden am Strand
- ich sage R
- Real ist Geld in unserem Land
- Was ist mit A?
- Mit Amazonien atmet das Planet
- Weiter mit S?
- Samba bewegt das ganze Kontinent
- Und I?
- Iguazu-Wasserfälle sind bekannt
- Als nächstes L
- legendär ist Fußball hier im Land
- und noch mal I?
- Indigene Völker leben hier
- Was gibt’s zu E
- Erneuerbare Energien fördern wir
- dann sag ich N
- Neugierig? Wo kommen wir denn her?

Refrain

PASCH-Netzwerk, PASCH-Partnerschaft,
weil du alles schaffst, wenn du einen Partner hast.
Weltweit vernetzte PASCH-Partnerschaften –
wenn du einen Partner hast, dann kannst du alles schaffen.
PASCH-Netzwerk, PASCH-Partnerschaft,
weil du alles schaffst, wenn du einen Partner hast.
Eyo Partner, sag mir, was geht ab?
Lass die Würfel fallen – und es ist ein PASCH!

Estrofe 1

-Olá, pessoal, vocês estão na escuta?
-Nós enviamos o sinal de um outro país
-E onde?
-Eu digo uma letra
-Eu dou uma dica
-Eu digo B,
-Banhando na praia
-Eu digo R,
-Real é nosso dinheiro
-E enquanto A?
-Com a Amazônia o planeta respira
-O que temos com S?
-O samba movimenta nosso país
-E a letra I?
-As Cataratas do Iguaçu são famosas
-Em seguida L
-O futebol é lendário no país
-E mais uma vez o I
-Temos índios que moram aqui
-E o quem tem o E?
-Nós promovemos as energias renováveis
-Então eu digo N
-Curiosos? De onde viemos?

Refrão

Rede PASCH parceria PASCH,
porque você pode fazer qualquer coisa se você tem um parceiro.
parcerias globais PASCH —
Se você tem um parceiro,
então você pode fazer qualquer coisa!

Rede PASCH parceria PASCH,
porque você pode fazer qualquer coisa se você tem um parceiro.
Eae parceiro, me diga, como vai?
Deixe isso de lado — pois é um PASCH!
Tags:

publicidade

publicidade