SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Peça é uma adaptação de obras indicadas para o PAS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/10/2013 15:47 / atualizado em 28/10/2013 17:10

Divulgação
O espetáculo PAS(SEI) faz duas apresentações aberta ao público nos dias 2 e 3 de novembro. Baseado nas obras dramáticas indicadas pelo Programa de Avaliação Seriada 1, 2 e 3 da Universidade de Brasília (UnB), é destinado aos alunos do ensino médio e pessoas interessadas no tema. As obras inspiradoras são Antígona, de Sófocles (PAS 1), Otelo, o mouro de Veneza, de William Shakespeare (PAS 2), e Campeões do mundo, de Dias Gomes (PAS 3). O objetivo da montagem é facilitar o acesso dos estudantes ao conteúdo programático determinado no programa e, por desdobramento, aos conteúdos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e dos vestibulares.

As obras dramáticas listadas no PAS abordam diversos assuntos que envolvem aspectos existenciais, éticos e afetivos que são vistos no contexto da adolescência, fase que traz uma série de transformações anatômicas, fisiológicas e psicológicas com repercussão na forma de se perceber uma nova constituição comportamental. Assim, o espetáculo PAS(SEI) propõe um passeio pelas obras com o foco orientado para o diálogo com os jovens sobre a qualidade e o contexto das relações na adolescência e das práticas cotidianas ligadas à sociedade.

Além das obras literárias, o espetáculo utiliza músicas que também fazem parte das referências do PAS. Entre as canções estão composições de artistas como Chico Buarque, Moreira da Silva, GOG, Caetano Veloso, Racionais MCs e Michael Jackson.

O espetáculo é dirigido por Márcio Menezes e tem no elenco os atores Abaetê Queiroz, Mateus Ferrari, André Reis, Juliana Drummond, Lívia Bennet, Tati Ramos e Edu Moraes. A produção é de Guilherme Angelim.


As obras dramáticas

Antígona

Antígona de Sófocles é referência para compreender o homem contemporâneo a partir da tragédia grega que demarca o processo civilizatório do mundo ocidental. A partir desta obra, pode-se mostrar que o homem contemporâneo é plenamente responsável pelos seus próprios atos na interlocução com o outro e na sua relação política com a cidade. Nas cenas de Antígona utiliza-se o sistema coringa desenvolvido por Augusto Boal, onde os atores não têm papéis fixos.

Otelo, o mouro de Veneza

Na montagem, Otelo, o mouro de Veneza é ambientada na Ceilândia. Shakespeare, do mesmo modo que Machado de Assis, explora o universo entre o mundo da aparência e o mundo oculto, e assim expõem as fraquezas humanas. A obra Otelo é um convite a um mergulho no universo da psicologia e do indivíduo.

Campeões do mundo

Nos anos 1960 e 1970 eclode no Brasil os anos de chumbo e junto com eles o teatro político brasileiro. Neste contexto, vários grupos teatrais resistiram e levantaram a voz contra a mão pesada dos militares: o Arena, o Oficina, o Opinião, entre outros. Em 1980, logo após a Anistia permitir a volta dos exilados políticos, o dramaturgo Dias Gomes fez um panorama dos anos da ditadura no nosso país. A partir de um fato, o sequestro de um embaixador, ele faz uma análise do comportamento político dos brasileiros. A peça Campeões do mundo é uma obra que tem estrutura épica e apresenta a relação dos indivíduos com os poderes constituídos.

Serviço

PAS(SEI)
Dias e horários: sábado (2/11) às 21h e domingo (3/11) às 20h
Local: Centro Cultural de Brasília (CCB) - Via L2 norte quadra 601- Ao lado do Serpro
Ingresso: R$30 (inteira) R$15 (meia)
Classificação Indicativa: 14 anos
Tags:

publicidade

publicidade