SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Campanha de violência contra a mulher será levada para as escolas do país

A iniciativa é a segunda fase do Programa Mulher - Viver sem Violência e foi lançada hoje, 22, no Rio de Janeiro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/11/2013 16:32 / atualizado em 22/11/2013 17:19

Agência Brasil

A segunda fase da campanha de combate à violência contra a mulher, lançada hoje (22), no centro da capital fluminense, vai focar as ações na conscientização de crianças e adolescentes. Serão apresentados dois videoclipes musicais em escolas, um gravado por artistas e outro por crianças, para informar os jovens sobre os altos índices de violência doméstica.

O evento de lançamento da campanha "Quem ama abraça 2013 - fazendo escola" reuniu centenas de estudantes, mulheres e artistas. O projeto foi idealizado em conjunto pela Rede de Desenvolvimento Humano (Redeh) e o Instituto Magna Mater (IMM), com o apoio do governo federal, por meio da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e do Instituto Avon.

A ministra Eleonora Menicucci, titular da pasta, considerou fundamental que o foco dessa campanha seja voltado para crianças e adolescentes. "Com ela [a campanha] eu tenho certeza de que conseguiremos mudar valores e cultura que são impregnados nas crianças que passam a achar até natural a violência contra as mulheres. Por outro lado, eu tenho certeza que essa campanha nas escolas vai mudar definitivamente essa cultura".

A campanha vai promover ações em todo o território nacional no ano de 2014 para conscientizar os cidadãos e diminuir o número de mortes de mulheres no Brasil. De acordo com estatísticas divulgadas pela Redeh, a cada duas horas, uma mulher é assassinada no país; 30% das mulheres já sofreram algum tipo de violência doméstica; e, a cada dois minutos, cinco mulheres são violentamente agredidas. Em 2012, 50.617 casos de estupro foram registrados.

O secretário de estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, ressaltou a importância do Rio de Janeiro no lançamento da campanha. "A campanha dá o pontapé para os 16 dias de ativismo contra a violência praticada contra as mulheres. Nós temos o orgulho de receber a campanha. E o Rio de Janeiro é o tambor. Tudo o que a gente faz aqui repercute bem. Eu vejo que trabalhar o não preconceito, trabalhar o amor junto às crianças é fundamental porque elas é que serão os balizadores do nosso futuro'", disse o secretário.

A cantora Leila Pinheiro, que trabalhou como diretora musical do clipe feito pelas crianças, disse que, por meio dos jovens, é mais fácil sensibilizar um adulto. "Acho que, pelas crianças, os adultos se sensibilizam de uma forma mais forte, mais contundente. As crianças sofrem por ver a mãe sendo vítima da violência. Ficou lindo [o clipe]. A música do Gabriel Moura e do Rogê é espetacular. Tomara que caia nos ouvidos do Brasil e que a gente consiga reduzir esses índices astronômicos de violência contra a mulher".

O lançamento da segunda fase da campanha ocorre dentro dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência, de 25 de novembro, quando é celebrado o Dia Internacional de Luta pela Não Violência contra as Mulheres, a 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. No dia 25, o Cristo Redentor, no Corcovado, zona sul do Rio, será iluminado com a cor lilás. Já o estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã, exibirá em todos os jogos mensagens pelo fim da violência contra as mulheres.

A iniciativa integra o Programa Mulher, Viver sem Violência, que visa a sensibilizar e conscientizar a população sobre os direitos das mulheres e o fim da impunidade para seus agressores. As campanhas "Compromisso e atitude pela Lei Maria da Penha" e "Desperte para essa causa", também fazem parte do programa federal.
Tags:

publicidade

publicidade