SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

CELEBRAÇÃO

Um Natal mágico para a criançada

Correio Braziliense Solidário encerra as atividades de 2013 com festa para 1,8 mil crianças de todo o Distrito Federal atendidas pelo programa. Foi um domingo de brincadeiras, de presentes e de muita diversão que jamais sairá da memória da meninada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/12/2013 10:32 / atualizado em 16/12/2013 11:21

Gabriella Furquim

Monique Renne/CB/D.A Press


Monique Renne/CB/D.A Press


A Festa de Natal do programa Correio Braziliense Solidário reuniu mais de 1,8 mil crianças carentes do Distrito Federal na manhã de ontem. O evento aconteceu no Colégio Mackenzie, no Lago Sul. Cerca de 300 voluntários trabalharam para animar a festa promovido para crianças de 3 a 6 anos de instituições espalhadas pelo DF. A comemoração começou às 9h e se estendeu até às13h. A comemoração encerrou um ano especial para a ação que, em 2013, celebrou uma década de atuação na capital do país. Ao todo, 17 creches e um abrigo recebem o apoio do projeto e oferecem serviços de qualidade a mais de 2 mil pessoas.

A festa começou cedo. Às 8h, as primeiras crianças começaram a chegar. Ao desembarcarem dos ônibus, os pequenos encontravam um mundo mágico com dezenas de personagens do universo infantil. Os bonecos, interpretados por voluntários e funcionários do Correio, indicavam o caminho até o ginásio, onde brinquedos foram montados para fazer a alegria da meninada. Alguns não resistiam e escapavam da fila para abraçar os personagens mais queridos. A Galinha Pintadinha era um dos bonecos preferidos.

Ao chegarem ao ginásio, uma explosão de alegria. Os pequenos corriam para todos os lados. Alguns, indecisos, não sabiam qual atração experimentariam primeiro. “Parece que alguém deu corda neles e soltou. Ficam elétricos, correm para todo lado. Mas isso é alegria. É muito bom vê-los assim. Para as crianças, a festa é como um sonho. É o melhor presente que elas poderiam ter”, contou a professora Benícia de Sousa Teles, 40 anos, que levou 14 crianças da Creche Santa Luzia, que fica em Samambaia. “Esse é um momento mágico. Vai além do que eles sonham. Acredito que tanta fantasia renova a magia do Natal”, disse Maria da Conceição de Araújo, 54, que também educa crianças na mesma instituição.

Não faltavam opções para a diversão da criançada. O palhaço Psiu animou a festa com brincadeiras e coreografias. Brinquedos infláveis, espaço para desenhar, pintura de rosto e balões eram apenas algumas das opções. Mesmo com tanta agitação, muitas meninas e meninos deixaram as brincadeiras de lado quando as princesas dos contos de fada chegaram ao salão. Branca de Neve, Rapunzel, Cinderella e Chapeuzinho Vermelho distribuíram doces para os convidados. A pequena Williany Silva, 3 anos, não teve dúvida. “As princesas e os bichos”, respondeu ao ser questionada sobre qual a melhor atração da festa. A garota é atendida pela Sociedade Espírita de Educação Sementinha de Luz (Seluz), em Samambaia.

Mesmo com tantas opções, a brincadeira favorita de Augusto Franklin de Souza, 6 anos, foi o futebol. “Só que ainda não fiz um gol, mas vou fazer”, contou, animado. Em um espaço externo, as crianças puderam jogar bola com o acompanhamento de monitores, que organizaram as disputas. Ontem, foi a terceira vez que
Augusto participou da comemoração. “No ano passado, foi muito legal e agora está melhor ainda”, contou. Ele é uma das crianças do Centro Comunitário São Lucas, em Ceilândia, que participaram do evento. A professora dele, Maria do Rosário Ribeiro, 53, contou que, após a festa, o assunto da aula sempre são as brincadeiras. “Eles passam um mês só falando disso. É um momento muito marcante para todos”, disse.

Criatividade

Depois de mais de quatro horas de diversão, a garotada começou a dar sinais de cansaço. Ana Clara Moraes de Jesus, 6 anos, não resistiu e tirou uma soneca no colo da professora. “Eu brinquei no pula-pula, dancei e pintei uma borboleta”, enumerou a menina, atendida pelo Centro Comunitário de Ceilândia. Assim como ela, muitas crianças desenharam. O varal ficou lotado de pinturas de arco-íris, árvores, casas e flores. No menu do lanche: pizza.

Com a energia renovada, muita agitação para receber o Papai Noel. O Bom Velhinho trouxe presentes para cada um dos pequenos presentes na festa. Todos receberam a atenção da grande estrela do domingo e saíram contentes com os embrulhos. Antes de voltarem para casa, ganharam ainda uma sacola com guloseimas. No fim, exaustos e contentes, os voluntários comemoraram mais uma festa de solidariedade. Foram eles que organizaram e cuidaram de cada detalhe. Desde a logística da chegada dos ônibus até a distribuição dos lanches, além da coordenação das brincadeiras.

Ao longo do ano, o Correio organiza festas — como o Arraial Solidário e o Feijão Solidário — com o objetivo mobilizar a comunidade do Distrito Federal a participar de ações que ajudam que mais precisa. Esses eventos permitem a captação de recursos, que, posteriormente, são repassados a instituições parceiras. Outro meio de arrecadação é a doação espontânea de pessoas físicas e jurídicas, além de parcerias institucionais e com entidades e empresas promotoras de eventos. As atividades do programa são transparentes, e a inauguração das obras e atividades pode ser acompanhada pelos leitores por meio das fotos e dos textos publicados no jornal.

Novo prédio

Em junho deste ano, o Correio Solidário inaugurou o novo prédio da Sociedade Espírita de Educação Sementinha de Luz (Seluz), em Samambaia. A construção da estrutura foi uma das diversas ações do programa em 2013. Batizado de Sabores e Saberes, o novo espaço conta com salas de aula, refeitório, cozinha, pátio coberto e banheiros infantis. Atualmente, a instituição conta com 37 funcionários responsáveis pelas atividades e alimentação de 127 alunos, das 7h15 às 19h30.
Tags:

publicidade

publicidade