SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Ensino médio

Trabalho de estudantes resgata tradições em cidade catarinense

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/01/2014 11:21

O município catarinense de Alfredo Wagner, na região da Grande Florianópolis, tornou-se conhecido graças ao trabalho de uma professora, que desenvolveu projeto pedagógico baseado no resgate histórico da cidade, de colonização alemã, constituída por cerca de 10 mil habitantes, em 49 comunidades. O trabalho da professora Caroline Pereira foi um dos ganhadores da sétima edição do Prêmio Professores do Brasil, promovido pelo Ministério da Educação.

Desenvolvido na Escola de Educação Básica Silva Jardim, o projeto Conhecendo Alfredo Wagner foi premiado na categoria Temas Específicos, subcategoria Educação Integral e Integrada. A experiência foi iniciada em março de 2013, com alunos do segundo ano do ensino médio inovador, sistema que adota eixos para nortear o ensino. Nele, três dias por semana, os estudantes ficam na escola em período integral para participar de aulas e oficinas técnicas práticas.

“Trabalhando com o eixo escolar e com a comunidade, nasceu a ideia de explorar a cidade, resgatar sua história e relacionar o conteúdo de sala de aula com as saídas de campo”, explica Caroline, professora de informática e orientadora de tecnologia educacional. Professores de língua portuguesa, artes, biologia, história, geografia, matemática, inglês e empreendedorismo também participaram do trabalho.

De acordo com Caroline, a história do município está ficando esquecida ou morrendo com seus protagonistas. A professora considera fundamental fazer o registro histórico desse material para a propagação das tradições, culturas e costumes do povo. “Conhecer a cidade em que se vive é primordial para que se possa criar uma harmonia entre o passado e o futuro”, diz.

Por meio de visitas de campo, os estudantes tiveram a oportunidade de estudar o passado das comunidades, a origem dos primeiros colonizadores e como era a vida em outras épocas. Em cada comunidade, professores e alunos foram recebidos por uma família.

Interligação — Os alunos também observaram as belezas naturais da região, conheceram espécies animais e vegetais e estudaram o ecossistema e avaliaram o equilíbrio biológico. “Conhecer o lugar em que se vive é a melhor forma de entender o contexto social, bem como criar uma interligação entre espaço e indivíduo”, diz Caroline.

A constatação do potencial da cidade para o turismo rural levou à elaboração de um plano-piloto, com sugestões de viagens e formas de tornar a atividade sustentável, sem agredir a natureza. O plano foi apresentado pelos estudantes à prefeitura para estudo de viabilidade. Os alunos também produziram um vídeo, com imagens obtidas durante as saídas de campo, para divulgação do município.

As experiências de cada viagem, ressaltados os pontos positivos, foram anotadas em um diário de bordo. Os estudantes ainda redigiram as entrevistas realizadas nas comunidades. “Com base nelas e nas experiências vividas durante a visita, escrevemos a história da comunidade e suas peculiaridades”, revela a professora. O projeto propiciou o resgate histórico de 32 personalidades do município. Os nomes foram surgindo durante as entrevistas ou por sugestão dos moradores, no blogue da escola ou no de Caroline.

A professora tem bacharelado em sistemas de informação e licenciatura em informática e faz mestrado em educação, com ênfase em tecnologia educacional.

Tags:

publicidade

publicidade