SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Quem sempre estendeu as mãos pede ajuda

Instituto que atende 70 alunos com arterapia e tecnologia ajuda na reabilitação de crianças, jovens e adultos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/01/2014 12:52 / atualizado em 20/01/2014 13:22

Rafael Campos

Aos 62 anos, a aposentada Maria de Jesus Gomes Martins percorre os mais de 30 km que separam as cidades de Planaltina e Paranoá duas vezes por semana. Mesmo com as limitações físicas que têm — o lado esquerdo do corpo é quase paralisado, consequência de um acidente de trânsito que também a fez sofrer um traumatismo craniano —, ela se desloca de casa para o Instituto Mãos de Arte (IMA), onde 70 alunos deficientes são tratados com arteterapia e tecnologia. “Quando estou aqui, lembro-me da época em que era criança. Às vezes, pego os quadros que desenho e ponho na parede da minha casa”, conta. Porém, a instituição está sob risco de fechar as portas. Dependente de doações, o IMA pode perder o local onde funciona, devido ao alto preço do aluguel, além de não ter condições de garantir os valores necessários à ajuda de custo dos voluntários. Administradora do IMA desde seu surgimento, em 2009, Elisa Lemos explica que a média mensal de gastos é de R$ 13 mil, envolvendo, além do valor cobrado pelo imóvel e o que é direcionado aos funcionários, telefone, materiais de limpeza, lanche e os materiais de pintura usados pelos alunos. “São tantas salas vazias no Paranoá e era tudo que queríamos: uma para usarmos. Não precisamos de muito espaço para fazer nosso trabalho.”

Trabalho que envolve bem mais que as telas que colorem o ambiente do IMA. Lá, de forma gratuita, os pacientes recebem cuidados de profissionais de artes visuais, música, cinema e teatro, tecnologia, fisioterapia, psicologia e fonoaudiologia. Depois de 16 anos trabalhando com reabilitação de pacientes nos hospitais da rede Sarah Kubistchek, Elisa decidiu direcionar seu esforço para que aqueles com deficiências também pudessem se valer de terapias de reabilitação a fim de conseguirem lidar melhor com os problemas. “Unimos a arte com a tecnologia e vemos hoje o quanto nossas crianças estão mais sociáveis. Todas elas passaram de ano na escola e, em casa, melhoraram o comportamento.”

Como contribuir

O Instituto Mãos de Arte aceita doações de produtos de limpeza, materiais de pintura, além de dinheiro. Segundo Elisa Lemos, a instituição não tem ajuda governamental, apesar de receber pacientes vindos das escolas públicas. Para quem deseja doar dinheiro, seguem as contas:

Banco do Brasil

Agência: 1230-0
Conta: 34.808-2
BRB - Banco de Brasília
Agência: 0204
Conta: 204.023339-8
Tags:

publicidade

publicidade