SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Vacinação contra o HPV em março

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/01/2014 16:29 / atualizado em 23/01/2014 16:33

Julia Chaib

Monique Renne/CB/D.A Press
A vacina contra o papilomavírus humano (HPV) começará ser distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de 10 de março. O Distrito Federal foi uma das primeiras unidades da Federação a oferecer a imunização de graça, já no ano passado, e, por isso, a campanha na capital será diferente do restante do país. No lugar de contemplar a mesma faixa etária de 2013 e vacinar pré-adolescentes de 11 a 13 anos, como ocorrerá nos estados, o DF ampliará o público-alvo, oferecendo a imunização a meninas de 9 a 13 anos. A vacina protege contra quatro subtipos do vírus: 6,11, 16 e 18. Os dois últimos, segundo o Ministério da Saúde, são a causa de 70% dos casos de câncer de colo do útero no mundo.

No DF, a vacina contra o HPV será aplicada em três doses, que devem ser tomadas em escolas públicas, privadas ou em postos de saúde. A imunização dependerá do consentimento do responsável pela menina, que pode assinar um termo de recusa. A primeira dose será em março; a segunda, em maio; e a terceira, em setembro. Nos estados, as meninas receberão a primeira dose em março; a segunda, seis meses depois; e a terceira, daqui a cinco anos. “Com as duas primeiras doses, ela já está protegida e, cinco anos depois, deve tomar outra para manter o efeito duradouro da vacina”, explicou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

A estratégia será diferente no DF porque o modelo implantando na capital servirá como teste para confrontar os dois métodos, segundo a Secretaria de Saúde. No ano passado, 55 mil pré-adolescentes foram vacinadas contra o vírus na capital federal, quase 80% do público-alvo. Neste ano, devem ser imunizadas 67,2 mil.

As idades contempladas são estratégicas. “É a faixa etária que tem a chance de produzir o maior número de anticorpos e que ainda não iniciou a atividade sexual”, detalhou Padilha. No Brasil, a estimativa é que, por ano, 685,4 mil pessoas sejam diagnosticadas com o vírus, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).
Tags:

publicidade

publicidade