SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Herói em construção

Em Uma aventura lego, um bonequinho comum e totalmente despreparado é eleito para salvar esse mundo de bloquinhos coloridos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/02/2014 12:50

Ana Paula Corradini

 (Fotos: Warner Bros/Divulgação) 

É bom demais montar Lego, jogar os games do Lego, mas que tal ver esses bloquinhos em ação pela primeira vez? Em Uma aventura lego, Emmett é um bonequinho normal e leva sua vidinha tranquilamente, até que um dia é confundido com o “Mestre Construtor”, o grande criador desse mundo de brinquedo. Tudo bem que os bonequinhos são todos amarelos e superparecidos, mas Emmett fica com o abacaxi de tentar derrotar um vilão megapoderoso que pretende colar todos os bloquinhos para sempre. Será que ele vai conseguir fazer isso sozinho? A gente só vai ficar sabendo assistindo a essa aventura, que chegou ontem às telonas.


Toda história tem um começo
Os bloquinhos de plástico Lego são famosos no mundo inteiro, mas você sabia que tudo começou com uma marcenaria que tinha só sete empregados? O Grupo Lego foi fundado em 1932 por Ole Kirk Kristiansen, na Dinamarca — e hoje quem toma conta de tudo é o neto dele, Kjeld. No começo, eles só produziam cabides e patinhos de madeira. Com o tempo, passaram a fazer também blocos de madeira para montar, até começarem a fazer pecinhas de plástico. O famoso bloquinho Lego, com 8 “botões” na parte de cima, só apareceu em 1958.


Você sabia?
“LEGO” é uma abreviação das palavras “leg godt”, que em dinamarquês querem dizer “brincar bem”.


Tijolinho que não acaba mais
Usar a imaginação para construir o que quiser com essas pecinhas coloridas é o máximo, mas tem gente que leva esse assunto muito mais a sério. Em agosto do ano passado, os alunos de uma escola em Delaware (Estados Unidos) entraram para o Guinness, o Livro dos Recordes, com uma torre construída inteirinha com bloquinhos Lego, e que chegava a quase 35 metros de altura — ou 11 andares! A torre, que continha nada menos que 500 mil tijolinhos, foi montada aos poucos em cada escola do distrito, e então todas as partes foram reunidas para erguer o prédio.

Mas por que estamos usando todos os verbos no passado? É que a torre teve que ser desmontada uma semana depois, por perigo de tombar e machucar alguém. Pena que não deu tempo de chamar o Emmett, né?


Por direitos iguais
Sabe que há muito mais bonequinhos meninos que meninas nos Legos de piratas, astronautas, submarinos e corrida de carrinhos? Por causa disso, uma menina de sete anos escreveu uma carta para a fabricante dos brinquedos para dizer que as meninas Lego não têm muita chance se de divertir. Charlotte Benjamin, que mora no Reino Unido, disse que as bonecas meninas só ficam sentadas em casa, vão à praia, às compras e não trabalham — que coisa mais chata, né?

A carta ficou super famosa na internet, e a Lego respondeu dizendo que tanto meninas quanto meninos podem brincar com qualquer bonequinho. E aí, o que você acha? Falta mesmo mais bonequinhas Lego para viver aventuras? Envie um e-mail para super.df@ dabr.com.br e responda.
Tags:

publicidade

publicidade