SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Jardim de infância cinquentão

O centro de ensino da 404 Norte é referência na educação infantil e tem lugar cativo no coração da comunidade. Festa de aniversário é hoje

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/03/2014 10:32 / atualizado em 14/03/2014 11:35

Ana Paula Lisboa

Breno Fortes

Na SQN 404, em meio a blocos de concreto e árvores, fica uma modesta construção pintada de azul-claro. Do lado de fora, é possível escutar o amontoado de vozes e de risadas das 186 crianças que ali estudam — 80% delas moram na vizinhança. Por dentro, a escola é simples, mas bonita, cheia de paredes coloridas, adornos, parquinho, casinha e brinquedos. Mas não é só a estrutura que torna esse jardim de infância especial. Ele faz parte do cotidiano da quadra há meio século.

Fundado em 13 de março de 1964, foi o primeiro jardim de infância da Asa Norte e formou gerações de brasilienses. A festa para celebrar o jubileu de ouro ocorre hoje, a partir das 10h. Antigos e atuais alunos, professores, funcionários e pais são esperados para cortar o bolo de aniversário. O nome do centro de educação infantil é o mesmo desde 1976, mas, no início, era conhecido como Jardim de Infância SQ 403 Oeste.

 

 

O servidor público João Dantas de Carvalho Júnior, 53 anos, aluno da primeira turma, guarda carinho pelos anos em que estudou ali. “Todos os dias, ficava animado para estudar e vestia o uniforme antes da hora. As tias eram dedicadas, o que fazia a gente ter vontade de estudar. Sempre que me lembro das coisas boas da minha infância, a imagem do meu jardim de infância vem à mente. Até me emociono para falar. Estudar ali marcou a minha vida”, recorda.

O também funcionário público Carlos Genildo Carvalho da Silva, 47 anos, frequentou o colégio até 1972. Para ele, essa temporada fez diferença na formação. “Os meus dois irmãos mais novos estudaram lá. Eu me lembro muito das festas da escola, das atividades recreativas em datas comemorativas… Era muito bom e cumpriu a sua finalidade, tanto que virou referência.” Educadora no centro de ensino há 7 anos, Silvia Francisco Alves, 45, escolheu a profissão há mais de 40, quando estudou ali. “Eu admirava a minha professora, a tia Ivonita, e decidi ser professora também. Adoro trabalhar com crianças pequenas e, aqui, relembro minha infância”, relata.

 

O sorridente Arthur Medeiros, 4 anos, conta o que acha da escola. “Eu gosto muito porque tudo o que faço aqui é divertido”, diz. A professora dele, Rita Bisognini Santi, 47, está no colégio há 14 anos. “As crianças aprendem com ludicidade, dando oportunidade para que cresçam e saibam compartilhar”, detalha. Para ela, a qualidade na educação básica faz a diferença. “Quem passa pela experiência do jardim de infância tem muito mais maturidade emocional do que aqueles que chegam à escola direto no 1º ano do ensino fundamental”, compara.

Projetos
A disputa pelas vagas de maternal e de 1º e 2º períodos (antigos Jardim 1 e 2) é alta, e pais chegam a dormir até três noites na fila para matricular os filhos no Jardim de Infância 404 Norte. A fama de “jardim destaque da Asa Norte” não surgiu à toa. É fruto do esforço de uma comunidade escolar ativa, que não se contenta com o oferecido pela Secretaria de Educação. Tanto que há ex-alunos, cujos filhos e até netos estudam ou estudaram no local.

É o que explica a diretora da instituição há 11 anos, Rosimara Moreschi de Albuquerque, 47 anos. “A gente faz muito mais do que é exigido. A escola sempre foi muito boa, sempre ganhou prêmios. Desde que cheguei, demos continuidade ao que já existia aqui e, com a ajuda de todos, está cada vez melhor”, comemora. A presença de pelo menos 1,5 mil pessoas na festa junina da escola é uma prova de que a comunidade se sente bem-vinda no local.

Por meio do projeto Pai parceiro da escola, os responsáveis preenchem fichas em que registram as próprias habilidades. Quando o colégio precisa da ajuda de um agrônomo, de uma artesã ou de uma cozinheira, encontra pais e mães com vontade de contribuir. “Uma mãe que cozinha, por exemplo, pode vir à escola ensinar como fazer um bolo. Isso deixa os alunos satisfeitos e os motiva”, explica a diretora.

Horta escolar, aulas de informática, coleta seletiva, reaproveitamento de óleo de cozinha, biblioteca, incentivo à escovação e à alimentação saudável são algumas das iniciativas que tornam o Jardim de Infância 404 Norte modelo. O projeto Mundo da leitura infantil estabelece que os alunos levem livros para casa uma vez por semana. O Vida saudável complementa a merenda escolar oferecida pela Secretaria de Educação e convida os alunos a trazerem frutas para a hora do lanche. “As mães ficam satisfeitas para agradecer porque os filhos, que não comiam legumes nem frutas, passaram a comer”, conta Rosimara.

Não perca

A festa de jubileu de ouro do Jardim de Infância 404 Norte começa hoje, às 10h. A comemoração é aberta ao público. Representantes da Secretaria de Educação e da Administração de Brasília devem comparecer. Para a comemoração, estão previstas apresentações culturais dos alunos.

Amizade de pupilo e mestre Nove vezes campeão brasileiro, sete vezes internacional e representante do Brasil nas Olimpíadas de 1992, em Barcelona. José Mário Tranquilini, 51, foi um dos maiores judocas brasileiros. Atualmente, mantém o Judô com o Tranquilini, projeto social de incentivo a novos atletas, em São Sebastião. A vitoriosa carreira esportiva tem relação direta com o Jardim de Infância 404 Norte. “Sempre fui grande e não sabia controlar, nem conhecia a minha força. Cheguei a machucar colegas que me provocavam”, conta.

Numa dessas ocasiões, a mãe foi chamada para uma conversa, e a professora dele na época, a mineira Wanda Aída Braga Martchenko, 60 anos, sugeriu que o menino começasse a fazer judô. “Eu nunca vou me esquecer dele. Era um aluno muito bondoso, só que não tinha noção da força. Sugeri o judô para que ele pudesse descarregar as energias e aprendesse a controlar seus impulsos”, relembra Wanda.

A pequena diferença de idade entre professora e aluno se deve ao fato de Wanda ter começado a lecionar aos 17 anos, logo depois de concluir o curso normal. Formada em letras e em psicologia, ela escolheu a educação como missão. “Os anos em que passei aqui foram os melhores da minha vida. A gente tem de educar a criança para não ter de punir o adulto. A educação dos pequenos muda o mundo. Por isso, um jardim de infância como esse é tão importante”, defende.
 

 

 





 

Tags:

publicidade

publicidade