SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Programa do MPA alfabetiza mais de 17 mil pescadores em 2013

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/03/2014 19:41

Em sua primeira década de existência, o Programa Pescando Letras, que combate o analfabetismo e a baixa escolaridade no setor pesqueiro, já conseguiu atender a mais de 200 mil pescadores e aquicultores. Em 2013, o programa beneficiou a 10.799 trabalhadores da pesca e 6.554 pescadores artesanais, totalizando 17.353 pessoas. Os principais estados inseridos no programa foram das regiões Nordeste, com 13.118 alunos, e Norte, com 3.825 alunos.

O programa, do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), foi criado em 2003, quando a pasta ministerial ainda era uma Secretaria Especial da Presidência da República, e é resultado de uma parceria com o Ministério da Educação, as Secretarias Estaduais da Educação (SEDUC’s) e as Secretarias Municipais de Educação (SME’s).

“Nosso objetivo é a alfabetização, a elevação de escolaridade e a capacitação profissional de pescadores e aquicultores, visando a melhoria de suas condições de vida e facilitar o acesso deles às políticas públicas oferecidas pelo Governo Federal”, explica Henrique Almeida, diretor do Departamento de Planejamento e Ordenamento da Pesca Artesanal do MPA.

A proposta metodológica do Pescando Letras respeita a cultura, a experiência e a realidade dos pescadores. As turmas são formadas levando-se em conta a disponibilidade irregular de tempo desses trabalhadores e aproveita os períodos de defeso, quando os trabalhadores da pesca ficam inativos por ser a época da reprodução das espécies, para a aplicação ou intensificação dos cursos.

Cursos técnicos à distância
Além do Pescando Letras, na área de educação de adultos, o MPA conseguiu, em 2013, formar 488 técnicos em pesca e 483 técnicos em aquicultura, através de um projeto piloto que atende a todas as regiões do país.

Os cursos foram realizados em quarenta e oito (48) telecentros da Pesca Maré, que se transformaram em polos de apoio presencial de ensino à distância para receber as aulas transmitidas via satélite, diretamente do estúdio do Instituto Federal do Paraná. Os cursos possuem carga horária total de 2.400 horas.

Tags:

publicidade

publicidade