A difusão do saber

Programa arrecada livros e cria bibliotecas em escolas públicas do DF. Iniciativa tem ajuda do Correio Braziliense por meio do projeto Volta às aulas, que juntou 16 mil exemplares. Espaço de leitura do CEF 2 Cruzeiro recebeu 7 mil novos títulos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/04/2014 11:54 / atualizado em 01/04/2014 11:57

Antonio Cunha

Certa vez escreveu o poeta Mário Quintana: “o verdadeiro analfabeto é o que saber ler, mas não o faz”. Pois foi exatamente com essa preocupação que surgiu, há sete anos, a ideia de criar o projeto Bibliotecas do Saber, que já montou 129 espaços de leitura em todas as regiões administrativas do DF. Foi quando a diretoria da rede de postos Gasol viu que, embora exigisse o segundo grau completo como grau mínimo de escolaridade para a contratação dos funcionários, muitos deles mal sabiam escrever. “Nos perguntamos se era falta de leitura, e aí resolvemos fazer uma campanha para doar livros às escolas públicas, a fim de estimular o conhecimento”, conta a coordenadora do projeto, Carmen Gramacho. “Em 40 dias, já tínhamos mais de 400 mil livros”, ressalta.

Na última semana, a biblioteca do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 2, do Cruzeiro, ganhou mais 7 mil livros para o pequeno acervo que possuía. Rebatizado com o nome de Biblioteca Nicolas Behr, o espaço foi festejado pelos alunos. Iasmin Andrade está no 7º ano do ensino fundamental e garante que pretende continuar frequentando a biblioteca. “A gente já tinha lido quase tudo o que tinha aqui. Agora, temos mais opções”. A estudante adora ler publicações de suspense. “Porque mexe mais com a cabeça da gente, né?”, explica.

Simone Freitas estudou quando criança no colégio do Cruzeiro e trabalha no colégio há 25 anos. Ela é professora de Iasmin e estima que a procura vai ser grande. “Os alunos leem demais. Eles são motivados pelos professores.” A bibliotecária Iara Soares concorda. “A nossa biblioteca estava muito entulhada, agora fica um ambiente muito melhor.”

 

 

“Ego satisfeito”
Homenageado pela escola, o poeta Nicolas Behr não disfarça a alegria. “O ego da gente fica bem satisfeito. Vou ter que ajoelhar no milho e ler pelo menos três livros do Drummond, do Manuel Bandeira, do Mário de Andrade… Que é pra cair na real”, brinca.

Desde 2007, os coordenadores do projeto estimam que cerca de 2,4 milhões de livros já foram arrecadados. O destino? Escolas e presídios do Distrito Federal. Mas a ação não se limita ao Centro-Oeste. Exemplares já foram enviados para o Rio de Janeiro, o Maranhão, o Paraná e até para Angola. Só neste ano, devem ser inauguradas outras 22 Bibliotecas do Saber.

Diretor da Rede Gasol, Antônio Martins acredita que esse tipo de iniciativa é uma obrigação. “Os empresários devem isso para Brasília. Temos que retribuir tudo o que a cidade nos oferece. Isso é bonito demais. Essa vibração da comunidade toda. É uma alegria só.”

Campanha do Correio
Parte dos livros doados para as Bibliotecas do Saber partiu de uma iniciativa do Correio. Entre 2 e 31 de janeiro, o jornal promoveu a campanha “Volta às aulas” de doação de livros. O resultado foi a arrecadação de 16 mil exemplares. Entre eles, literatura infantil, material didático e apostilas para concursos públicos. Além dos postos da Gasol, as doações foram entregues para outras instituições com programas de incentivo à leitura e creches do DF contempladas pelo programa Correio Braziliense Solidário.

Fique atento

Doação: em qualquer posto da rede Gasol, ou pelo telefone 3217-8585.

Tags: