Comissão do Estatuto da Família discute doutrinação ideológica na escola

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/05/2014 12:45

Agência Câmara

A comissão especial que analisa a proposta de criação do Estatuto da Família (PL 6583/13) promove audiência pública na quarta-feira (28), às 14h30, para discutir a “doutrinação ideológica” feita por professores em sala de aula.

Os deputados Antônia Lúcia (PSC-AC), Erivelton Santana (PSC-BA) e Zequinha Marinho (PSC-PA), que pediram o debate, defendem que o professor não é educador. “Educação, ou seja, valores e normas de comportamento, tem que ser dada pela família”, apontam.

Eles afirmam ainda que a família, ao transferir para o Estado a responsabilidade de educação dos filhos, abriu oportunidade para a instrumentalização doutrinária do ensino.


Foram convidados para a audiência:

- a diretora de Formulação de Conteúdos Educacionais do Ministério da Educação, Monica Gardelli Franco;

- o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Paulo Speller;

- o presidente do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), Claudio Haddad;

- o advogado e professor Ives Gandra; e

- o advogado e fundador da ONG Escola Sem Partido, Miguel Nagib.


Ainda não foi definido o local do debate.

Tags: