Primeira escola do Cruzeiro faz 50 anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/11/2014 11:53

Kelsiane Nunes /Especial para o Correio

Alunos e professores comemoram os 50 anos do CED 1: a maioria dos estudantes vem de outras RAs (Ana Rayssa/Esp.CB/D.A Press) 
Alunos e professores comemoram os 50 anos do CED 1: a maioria dos estudantes vem de outras RAs

Olhando o prédio novo e bem conservado, não dá para dizer que, neste ano, o Centro Educacional 1 do Cruzeiro (CED 1) chegou a meio século de existência. Atualmente com 600 alunos, o colégio, inicialmente batizado de Ginásio do Cruzeiro, coleciona histórias de lutas e de conquistas. Hoje, a escola tem 23 salas de aula, biblioteca, sala de vídeo, cantina, laboratórios de física, química e biologia, duas salas de monitoria, auditório, pista de atletismo com cama de areia para a prática de saltos, três quadras de esporte, sendo uma coberta, mesas de pingue-pongue e xadrez, além de espaço no pátio do colégio para uma horta comunitária. O CED 1 oferece ensino para 8º e 9º anos do ensino fundamental e para o ensino médio.


Segundo o diretor da instituição, Jovandir Botelho, 55 anos, a maior parte do corpo discente vem de outras regiões administrativas. “Cinquenta e dois porcento dos alunos são da Estrutural. Também temos estudantes de Águas Lindas, Recanto das Emas e Guará. A participação de alunos do Cruzeiro gira em torno de 30%”, enumera.


A primeira escola do Cruzeiro precisa enfrentar diversos desafios, como melhorar a classificação dos alunos em exames e retomar o ensino profissionalizante, também conhecido como técnico — proposta que aguarda aprovação da Secretaria de Educação. “Com o ensino técnico, as turmas do ensino fundamental vão sair do colégio”, explica o diretor, Jovandir Botelho. “No ensino técnico, o aluno sai com uma profissão, o que ajuda a garantir seu sustento”, fundamenta o vice-diretor, Getúlio Cruz, 55 anos.


O CED 1 já teve ensino profissionalizante. Segundo o ex-secretário do colégio Geraldo Soares, 63, quando ele começou a trabalhar na instituição, eram oferecidos cursos de técnico em contabilidade e de técnico administrativo. “Na época, o colégio tinha 41 turmas e, hoje, tem 22. O noturno não tinha sala suficiente, então, foi preciso tomar emprestado salas de aula do CED 2, no Cruzeiro Novo. Em 1996, houve uma determinação que acabou com esse tipo de ensino no país. A última turma do curso profissionalizante se formou em 1999”, conta. “A procura era muito grande. A gente chegava a ter aluno sentado com a cadeira na porta da sala de aula”, relata o secretário Juan Nicolau Monteros, 46 anos.

Projetos para motivar
As pretensões não estão somente em conseguir oferecer o ensino profissionalizante. Professores e equipe pedagógica almejam que os estudantes cheguem mais motivados para as aulas e que tenham melhores resultados em vestibulares. “Os alunos estudavam mais antes. Agora, a gente tem que estar sempre estimulando porque eles já vêm desmotivados”, afirma Getúlio Cruz. “Um grande desafio é levar a escola a melhorar a classificação no Enem e no PAS da Universidade de Brasília.”


Aluno do 8° ano do ensino fundamental, João Victor Pereira, 15 anos, é um dos monitores da escola. “Acho o projeto bacana porque os colegas ficam mais interessados nos conteúdos”, opina. Ele diz não se importar de passar o dia todo no colégio. “Agora, com a monitoria, a escola é minha casa. Estou com os amigos, então o tempo passa rápido”, festeja.
Ex-aluna do colégio, a professora de artes Bianca Oliveira, 21 anos, atribui seus dois ofícios, o de dar aula e o de atuar, ao colégio. “O projeto Teatro na sala de aula definiu minha carreira. Foi um projeto que saiu da sala de aula e ficou para sempre. Foi a partir do contato com os professores que defini tanto minha carreira de atriz quanto a de professora”, comemora.


O CED 1 tem fama de ser um bom lugar para trabalhar e estudar. Para a estudante do 1º ano do ensino médio Thayná Alves, 15 anos, a reputação vem do convívio entre funcionários e alunos. “O ambiente daqui é bom. A diretoria e os professores são muito legais. Sempre que você tem um problema, eles ajudam”, conta.

 

Linha do tempo

20 de janeiro de 1964
O Ginásio do Cruzeiro foi fundado. No início, funcionava em um galpão de madeira no período noturno e oferecia aula só da primeira série ginasial.

Março de 1965
A escola passa a funcionar em prédio próprio e a atender no turno diurno.
3 de janeiro de 1977
Por meio do Decreto nº 3.547, o nome do colégio passa a ser Centro Educacional 01 do Cruzeiro.

2008
O turno noturno deixa de existir. Os alunos do colégio são realocados no CED 2 do Cruzeiro


2012
Início da reforma do prédio.
A escola passa a funcionar apenas
no período da manhã nas
dependências do CED 2.

Janeiro de 2013
O colégio é reinaugurado, agora
com o prédio reformado.

Tags: