SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Calendário flexível para as escolas públicas

Com a liberdade de repor aulas aos sábados, instituições podem fechar ano letivo em 22 de dezembro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/01/2015 13:04 / atualizado em 09/01/2015 13:05

Agência Brasília

O cronograma escolar divulgado ontem pela Secretaria de Educação do Distrito Federal prevê dois dias letivos móveis. No segundo semestre, cada escola pode escolher duas datas e transferi-las para qualquer sábado. Assim, se a diretoria decidir não abrir a escola nos dias 23 e 28 de dezembro, poderá antecipar essas aulas.

Se os dias móveis forem utilizados dessa maneira, o ano letivo de 2015 terminará em 22 de dezembro. No dia 23, ocorrerá a avaliação final (no caso de alunos em recuperação). "Essa alternativa não existia até o ano passado e é totalmente legal. Funciona para repor aulas perdidas, como ocorreria em caso de greve", explicou Fábio Pereira de Sousa, subsecretário de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação da Secretaria de Educação.

A legislação do DF determina que o ano letivo seja de cem dias em cada semestre — a avaliação final não pode ser realizada dentro desse período. Em 2014, o calendário também foi encerrado em 22 de dezembro, e a prova de recuperação foi feita no dia seguinte.

Atraso
A Secretaria de Educação decidiu atrasar em duas semanas o início do ano letivo de 2015 para que sejam concluídas a reforma das escolas e a compra de materiais necessários ao funcionamento das instituições. Os professores devem se apresentar em 19 de fevereiro, e os alunos, no dia 23. O recesso de julho também foi alterado: será de duas semanas em vez de três.

Técnicos da secretaria fecharam o calendário de maneira a não prejudicar tanto os professores e os alunos da rede pública de ensino. "As mudanças ocorrerão praticamente no primeiro semestre, e respeitamos toda a legislação para definir o recesso no meio do ano", afirmou o secretário de Educação, Júlio Gregório, em entrevista coletiva nessa quarta-feira (7).

publicidade

publicidade