SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

INVESTIGAÇÃO »

Mensagem mobiliza escola

Cartaz afixado perto de colégio da Asa Sul deixa em alerta pais, alunos, professores e polícia, que investiga o responsável

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/02/2015 11:39 / atualizado em 19/02/2015 10:43

Isa Stacciarini

Breno Fortes
Um recado misterioso colocado em frente a um colégio particular, na 615 Sul, mobilizou a comunidade escolar e assustou professores, funcionários e pais. Um cartaz afixado na estrutura de um semáforo oferecia um número de celular para conversas e trocas de mensagens por meio de aplicativos de smartphones. Os dizeres atraem para uma amizade gratuita: “Precisando de um amigo? Não vou te cobrar nada”. Com medo de possível risco e vulnerabilidade dos alunos, o Colégio Marista de Brasília Ensino Médio emitiu uma circular para informar aos pais sobre a situação. A Polícia Civil entrou no caso e investiga o paradeiro do envolvido.

Imagens do sistema de câmeras do colégio gravaram a ação do responsável pelo cartaz. Por volta das 22h30 de terça-feira da semana passada, um jovem se aproxima do local e cola a mensagem no sinal. A gravação foi entregue à 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), e funcionários da instituição registraram ocorrência na quarta-feira.

A diretoria também retirou o cartaz. Mãe de uma adolescente de 15 anos do ensino médio, Maria Cláudia Lisboa, 56 anos, demonstrou preocupação com o caso. A professora relatou a apreensão do que pode estar por trás da oferta. “Determinadas pessoas aproveitam as facilidades para, às vezes, cometer algum tipo de crime. Adolescentes, em geral, não têm malícia e nunca pensam duas vezes antes de fazer alguma coisa. A internet é uma praça onde cada um faz o que quer. Isso é muito perigoso”, afirmou.

A servidora pública Patrícia Martins, 45, é mãe de uma menina de 10 anos e de um garoto de 13. Ela destacou que fiscaliza a atitude dos filhos em redes sociais, mas se assustou com a mensagem. “Por mais que se sintam adultos, os jovens não têm noção do perigo. Quem anuncia esse tipo de coisa pode usar da artimanha para envolvê-los. Se uma pessoa em depressão entra em contato com o número de telefone e, porventura, manda alguma foto pessoal, há até um risco de pedofilia ou sequestro. Vou ficar mais atenta”, disse.

O diretor-geral do Marista, José Leão, explicou que a intenção de divulgar a circular para os pais foi uma forma de participarem do processo dos filhos por meio de conversas. “Se há algo que possa colocar em risco jovens e adolescentes, não apenas alunos da escola, mas de forma em geral, nós vamos atuar, sobretudo com elementos concretos para proteger a juventude de Brasília. Enviamos a circular para que os pais estejam atentos a chamadas sedutoras, e que, por alguma razão, um adolescente desavisado acabe aceitando esse tipo de informação”, ressaltou.

O delegado-chefe da 1ª DP, Luiz Alexandre Gratão, explicou que a polícia investiga o
que pode haver por trás do interesse das conversas. “Recebemos o boletim de ocorrência e despachamos para apuração. A situação é preliminar e precisamos saber um pouco mais sobre quem é essa pessoa, qual o propósito e a intenção dela. De qualquer forma, a atenção dos pais sobre o relacionamento dos filhos é sempre boa e fica o alerta para nenhum jovem se envolver com essa pessoa”, esclareceu.

O Correio conseguiu contato com o responsável pelo cartaz. Por WhatsApp e sem saber que trocava mensagens com a reportagem, ele revelou o nome e disse que faz parte de um projeto de auxílio a pessoas que queiram conversar, desabafar ou “simplesmente para trocar uma ideia”. “Se esse for seu interesse, podemos continuar conversando. Pelas minhas ideologias, acredito que, se eu amar o próximo como a mim mesmo, poderei ajudar a mudar o mundo”, escreveu.

"A atenção dos pais sobre o relacionamento dos filhos é sempre boa
e fica o alerta para nenhum jovem se envolver com essa pessoa”

Luiz Alexandre Gratão,
delegado-chefe da 1ª DP (Asa Sul)

 

publicidade

publicidade