SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

470 mil voltam às aulas nesta segunda-feira (23)

Estudantes da rede pública de ensino começam o primeiro semestre letivo hoje. Retorno foi adiado em uma semana devido à paralisação de professores, que fecharam acordo com o GDF na última sexta-feira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/03/2015 10:55

Camila Costa

Hoje é dia de volta às aulas para os 470 mil alunos matriculados na rede pública de ensino. O calendário oficial previa o início do ano letivo para o último dia 23, porém a data foi adiada por causa da paralisação dos professores. Agora, os estudantes já podem retomar a rotina diária de arrumação de material escolar e os pais precisam se preparar para os longos engarrafamentos nas vias do Distrito Federal que ficam próximas às unidades de ensino. As equipes de policiamento receberão reforço. Além dos cerca de 430 homens, o Batalhão Escolar da Polícia Militar do DF contará com mais 300 policiais para apoio das unidades diárias.

No caso dos professores, a preparação para o retorno envolve ainda o planejamento de reposição das aulas perdidas com a greve de cinco dias. Os docentes pararam as atividades por não concordarem com o parcelamento dos benefícios trabalhistas — como férias e 13º salário. Na última sexta-feira, entraram em acordo com o governo e decidiram suspender a paralisação.

O Sindicato dos Professores no DF (Sinpro-DF) afirmou que os profissionais terão condições de se organizar a tempo de repor as aulas sem prejuízos para os alunos. No entanto, adiantou que, no próximo dia 9, fará nova paralisação, para avaliar se o governo cumpriu com o que foi combinado. “O calendário escolar não teve alteração. Ou seja, começou no dia 23. O ideal, claro, era que o governo não tivesse deixado chegar a esse ponto, mas vamos garantir o conteúdo aos alunos. Permaneceremos mobilizados porque, se o governo não cumprir (o acordo), precisaremos avaliar se teremos condições de continuar com as atividades”, explica uma das diretoras do sindicato, Rosilene Corrêa.

O Executivo local já havia adiado o início das aulas — previsto inicialmente para 9 de fevereiro — em duas semanas. O principal motivo, segundo o governo, não foi a crise financeira, mas, sim, a necessidade de reformar boa parte das escolas públicas — 148 unidades de ensino, de um total de 657. Outras 447 precisavam de reparos, como troca de telhados, conserto de fiação elétrica e reparos hidráulicos. Os estudantes da rede privada voltaram às atividades já no começo de fevereiro.

Segurança
Segundo o comandante do Batalhão Escolar, coronel Júlio César Lima de Oliveira, o policiamento nas escolas está sendo feito desde 23 de fevereiro, quando as aulas deveriam ter começado. Ele afirmou que, durante a próxima semana, serão feitas operações pontuais em escolas do DF para manter a segurança dos alunos. A partir de hoje, o apoio será feito por viaturas, que ficarão na porta das escolas. “O grande diferencial será com esse trabalho, que contará com as unidades operacionais de cada região”, afirma Oliveira.

O coronel lembra que, em 2014, cerca de 120 escolas foram apontadas como as que necessitavam de um policiamento reforçado. Essas unidades de ensino continuarão sendo monitoradas. “Vamos fazer também operações de fiscalização de transporte escolar, operações direto nas escolas, varredura em alguns pontos predeterminados e em escolas que solicitaram revista de salas de aula e de mochilas”, diz.

Para o trânsito, segundo o comandante, nenhuma mudança está planejada. É esperado o aumento no fluxo de carros e de pedestres, mas o policiamento dispensado para as atividades em geral poderá atuar em casos de necessidade. “A nossa expectativa é de que tenha, sim, mais carros, mas nem todo mundo volta amanhã, de uma só vez. E os policiais que já estarão nas proximidades poderão atuar, se necessário, para ajudar na fluidez do trânsito”, garante Oliveira.


Parcelamento
O acordo com o Governo do Distrito Federal prevê o parcelamento dos benefícios em quatro vezes. Em 27 de fevereiro, foi paga a segunda parcela das férias. Em 20 de março, está programada a quitação do 13º salário dos professores temporários. Dia 30 de março, será paga a terceira parcela das férias e a primeira do 13º e, por fim, em 30 de abril, a segunda parcela do 13º e a quitação total do pagamento dos atrasados de 2014.

publicidade

publicidade