SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Universalização do ensino médio no Brasil levará 30 anos, diz Unicef

Em levantamento divulgado nesta quarta (11), órgão da ONU aponta barreiras na educação básica brasileira. Trabalho precoce, gravidez e violência são alguns dos desafios identificados pela pesquisa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/03/2015 11:20 / atualizado em 11/03/2015 11:50

Um relatório divulgado nesta quarta-feira (11) pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) mostra que universalizar o ensino médio com qualidade é um dos principais desafios da educação no país. Nos últimos 20 anos, os indicadores de acesso e de permanência evoluíram, mas o Brasil só conseguirá universalizar o ensino médio nas próximas três decadas se as condições atuais da educação se mantiverem.

De 2004 a 2014, o percentual de adolescentes de 15 a 17 anos matriculados no ensino médio aumentou de 47,5% para 59,5%, uma evolução melhor que a de anos anteriores. No entanto, cerca de 1,7 milhão de adolescentes de 15 a 17 anos (16,3% dessa população) ainda estão fora da escola, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2011. Entre os que estão matriculados, 35,2% (em torno de 3,1 milhões) ainda frequentam o ensino fundamental.

As conclusões são da publicação 10 Desafios do Ensino Médio no Brasil, lançada no seminário Ensino Médio no Brasil: sujeitos, tempos, espaços e saberes, realizado pelo Observatório da Juventude da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, até a próxima sexta-feira (13).

"O Brasil conquistou grandes avanços no ensino médio, mas agora é preciso acelerar esse processo e garantir a qualidade do ensino", diz Mario Volpi, coordenador do programa Cidadania dos Adolescentes do Unicef. "Isso será possível por meio de metodologias de ensino que estejam em sintonia com o contexto, as vivências e as expectativas dos próprios adolescentes."
Além de trazer análises e levantamentos estatísticos, o relatório do Unicef também apresenta os desafios apontados por 250 adolescentes que estão fora da escola ou em risco de abandoná-la. O objetivo da pesquisa, realizada pelo Observatório da Juventude da UFMG, foi entender o que os impede de permanecer na escola e progredir em seus estudos.

Foram realizadas entrevistas por meio de grupos focais nas cidades de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Belém (PA), Fortaleza (CE), São Paulo (SP) e Santana do Riacho (MG) entre outubro e dezembro de 2012 e entre maio e novembro de 2013. A pesquisa revelou que, independentemente do lugar onde vivem, a relação dos adolescentes os obstáculos são semelhantes. Trabalho precoce, gravidez e violência familiar e no entorno da escola, falta de acesso à escola na zona rural e ausência de proposta pedagógicas inovadoras são alguns dos desafios apontados pelos adolescentes entrevistados.

publicidade

publicidade