SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Secretaria restringe acesso de veículos de comunicação a escolas do DF

Professores estão vetados de dar entrevistas sem prévia autorização da assessoria de comunicação da pasta

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/04/2015 14:35 / atualizado em 28/04/2015 17:28

Docentes e alunos da rede pública de ensino do DF estão vetados de dar entrevistas a meios de comunicação sem autorização da Secretaria de Educação. O acesso de equipes de reportagem aos estabelecimentos de ensino também está restrito, de acordo com circular assinada na última quinta-feira (23) pelo secretário adjunto Clóvis Lúcio da Fonseca Sabino. A decisão foi tomada após incidente na Escola de Música de Brasília na semana passada, quando a direção da instituição impediu a realização de uma assembleia de professores por meio de liminar na Justiça, em ato que teve ampla cobertura da mídia.

O diretor do Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF), Cláudio Antunes, repudia o documento. “Nós vemos com muita preocupação a essa decisão, pois sempre prezamos pela liberdade de imprensa. A orientação que damos aos professores é que continuem chamando as equipes de reportagem quando for preciso fazer uma denúncia e mostrar as situações das escolas. O documento é inconstitucional”, diz. Em nota, o sindicato afirma que “o documento assinado pelo gabinete do Secretário de Educação é análogo aos Atos Institucionais 5, 14 e 15 do regime militar, época que teria ficado para trás na história do país”. Antunes comenta que já tinha uma reunião marcada com representantes da pasta na próxima quinta-feira, e que o assunto deve entrar em pauta.

Em nota, a secretaria afirma que o documento não pretendo coibir a atuação de veículos de comunicação. Leia o texto a seguir.

 

A Secretaria de Educação do Distrito Federal informa que a Circular 11/2015 em nenhum momento busca censurar a comunidade escolar, tampouco coibir o acesso da imprensa às escolas da rede. O documento, de caráter preventivo, visa, prioritariamente, preservar a imagem dos estudantes da rede pública de ensino, evitando a exposição desnecessária e sem autorização prévia do uso de imagem, em especial nas redes sociais institucionais, e unificar as informações oficiais no âmbito do Governo de Brasília.

Infelizmente, diante do impasse envolvendo professores e direção da Escola de Música de Brasília, a circular em questão gerou dúbia interpretação. Cabe frisar que o acesso da imprensa às unidades escolares nunca foi proibido pela Secretaria, desde que a Ascom seja comunicada.


Confira abaixo a íntegra do documento


publicidade

publicidade