SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Crianças unidas pelo desenho

ONG que promove campanha para construir uma escola no Senegal envia pinturas feitas por meninos brasileiros para alegrar a garotada de uma comunidade carente do país africano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/05/2015 13:00 / atualizado em 07/05/2015 11:30

Carlos Vieira

 

Um desenho pode mudar uma vida. Pelo menos essa é a certeza do estudante Henrique Costa dos Santos França, 12 anos. O garoto foi uma das 40 crianças que enviaram sua arte para a pequena comunidade Madinatu Munawara, próxima à cidade de Mbour, no Senegal. Com iniciativa da ONG Nação Pachamama, imagens criadas por vários brasileirinhos vão atravessar o Atlântico para levar uma mensagem de união entre os povos, em um projeto chamado Missão África. “Eu sei que a África é um continente que passa por muitos problemas, mas acredito que o desenho que enviei pode fazer com que uma criança de lá fique mais feliz”, aposta Henrique.

A arquiteta Adriana Nunes, 37 anos, foi a responsável por encontrar os pequenos que vão ilustrar o dia dos senegaleses. E a tarefa foi bem mais simples do que ela imaginava. “Todas elas estavam com alegria de desenhar. Fui ao Parque da Cidade, abordei os pais, perguntei se a criança gostava de desenhar e, depois, bastou elas usarem a imaginação.”

Em apenas três horas, ela já tinha 40 ilustrações diferentes, com os mais diversos temas. Henrique, por exemplo, decidiu homenagear o futebol brasileiro. “Há muita gente lá que adora jogar bola. E, como aqui também adoramos, quis usar esse tema”, explica.

Hoje, dois representantes da Nação Pachamama chegam ao Senegal, onde vão passar uma temporada de trocas culturais com a aldeia. “Vamos até lá conviver com tudo que essa sociedade tem a oferecer, mas de uma forma bem diferente. Não somos colonizadores. Estamos indo lá para ouvir”, afirma Marília Rabelo de Castro Andrade, 64 anos, uma das brasileiras que vai até o país africano.

De acordo com ela, essas missões ocorrem para que fique comprovado que a mensagem de paz que eles pregam é capaz de unir os povos em todas as suas diferenças. A primeira delas aconteceu no Peru. “Acreditamos que, através do amor, é possível criar um campo energético que favorece mudanças no campo concreto”, filosofa.

E essas mudanças já começaram a acontecer. Além dos desenhos, que vão trazer interação entre as crianças dos dois países, a ONG está recebendo doações para erguer uma escola na comunidade. Em uma vaquinha on-line (http://www.nacionpachamama.com/#! senegal/c1ra9) e também por depósitos em conta corrente, a Nação Pachamama tenta juntar o valor necessário e descreve que “a escola vai promover educação formal e de valores, além de abrigo para 36 crianças, algumas delas sem casa nem família.”

Outro ponto essencial é fortalecer a educação de meninas. A região ainda sofre muito com o preconceito em relação às mulheres, que recebem um ensino inferior ao dos homens. “Lá no Senegal, elas também são colocadas de lado na hora da educação, com falta de acesso grave à escola. Diante de uma vontade mútua, tanto da comunidade quanto da gente, tivemos a ideia de construir essa escola que vai atender principalmente as meninas”, explica Adriana.

A primeira parte da campanha vai garantir o alicerce da escola. Qualquer pessoa pode doar por meio da internet. “Além dessa troca cultura, temos a intenção de minimizar o sofrimento que o povo africano tem sentido há tantos séculos. Estamos bem empolgados, mesmo sabendo das grandes diferenças que existem entre nós”, explica Marília.


Identidade

A Nação Pachamama surgiu da inspiração dos avós andinos e se descreve como um movimento não político, não religioso e sem fronteiras. Ela quer unir vozes e corações para montar um novo equilíbrio nas relações entre os seres que vivem na Terra, mudando esse ciclo exploratório dos mercados e valorizando a identidade dos povos.

Quer doar?


Associação Pachamama
Banco do Brasil — Conta corrente
Agência: 02942-4
Conta: 34971-2
CNPJ 08.080.387/0001-45

O que será feito?

» Visita de dois dos executores representantes da nação Pachamama à aldeia, entre 11 e 16 de maio de 2015.

» Acompanhamento da aquisição de cimento e outros materiais para a execução da etapa inicial da construção da escola.

» Fortalecimento dos laços entre a Nação Pachamama e a Comunidade Madinatu Munawara.

» Exame da possibilidade de futuras ações de intercâmbio entre a Nação Pachamama e a Comunidade Madinatu Munawara.

» Divulgação da cultura senegalesa no Brasil.

 

publicidade

publicidade