Brasileiros embarcam para disputar Olimpíada de Matemática na Tailândia

Alunos de 111 países vão participar do torneio. Grupo de seis estudantes representa o Brasil no evento pelo 36º ano consecutivo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/07/2015 13:51 / atualizado em 03/07/2015 14:20

OBM/Divulgação
Na próxima segunda-feira (6), seis estudantes brasileiros viajam a Chiang Mai, na Tailândia, para representarem o país na 56ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, da sigla em inglês), que terá duração de 6 dias.

A equipe será liderada por dois professores membros da Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Os competidores têm entre 15 e 17 anos e vêm de diversas regiões do país. Eles serão acompanhados também por dois observadores incumbidos de recolher informações para a edição de 2017 da IMO, que será sediada no Brasil.

 "Sempre gostei de matemática e assim que descobri a existência das olimpíadas já me interessei", disse o integrante mais novo do time, Pedro Henrique Sacramento de Oliveira, de Vinhedo (SP), 15 anos, que já competiu internacionalmente 15 vezes, embora nunca em uma disputa dessa dimensão. Dois dos alunos selecionados esse ano participaram também da IMO no ano passado, na África do Sul, os medalhistas de prata Murilo Corato Zanarella, de São Paulo (SP) e Daniel Lima Braga, de Eusébio (CE), ambos de 17 anos.


A olimpíada terá início em 10 de julho, mas a equipe embarcará com antecedência para que possa se recuperar da longa viagem. "Uma vez que estivermos na Tailândia, tentaremos amenizar os efeitos do fuso horário e nos adaptarmos ao clima do país o mais rapidamente possível", disse Carlos Yuzo Shine, um dos professores líderes do grupo. A delegação nacional tem tradição no torneio: participou 35 vezes e conquistou 110 medalhas e 29 menções honrosas ao todo na competição.

Os resultados das provas – que serão realizadas todos os dias e contarão com três questões abrangendo as áreas de álgebra, teoria dos números, combinatória e geometria – só serão divulgados durante a cerimônia de encerramento. "Já tendo a experiência do ano passado, vou esse ano com menos medo da prova, sabendo que dá pra tirar o ouro.", disse Daniel.

A programação do evento, que nessa edição conta com participação recorde de 111 países, inclui também uma parte cultural de visita a um campo de elefantes e algumas palestras com celebridades do mundo da matemática olímpica. Podem participar do torneio alunos com menos de 19 anos que ainda não tenham ingressado na universidade. O processo seletivo tem como base os últimos resultados da versão nacional da competição, a Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), além de outras etapas como provas de seleção e listas de treinamento.