SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Oficinas de artes gratuitas para jovens e adultos selecionam participantes

O Projeto Profissão Arte retoma as atividades este ano e convida artistas com menos de 30 anos a participar de palestras e oficinas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/08/2015 16:56 / atualizado em 21/08/2015 18:10

Dayse Hansa
Após um ano sem ser realizado, o Projeto Profissão Arte chega à 9ª edição e oferece oficinas gratuitas para jovens e adultos na faixa de 16 a 29 anos. A iniciativa é da Associação Artística Mapati, uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que tem convênio com a Secretaria de Estado de Cultura e Ministério da Cultura desde 2005. As oficinas abrangerão as áreas de iniciação teatral, música, dança e têm vagas limitadas a 20 inscritos por modalidade, sendo que a carga horária varia entre 30 e 40 horas distribuídas em 3 meses de atividades. As matrículas serão feitas por ordem de inscrições, que serão encerradas na próxima terça-feira (25).


Apesar de qualquer habitante do Distrito Federal (DF) dentro da faixa etária indicada poder participar, o público alvo do projeto é composto por moradores das regiões de Santa Maria, Estrutural, Paranoá, Planaltina e Brasília. Nesta edição, além das atividades mencionadas, será oferecida uma oficina sobre produção cultural e o artista brasiliense Pedro Sangeon, criador do personagem Gurulino, dará aulas sobre quadrinhos.

Conheça a iniciativa


O Projeto Profissão Arte surgiu para desmistificar a ideia de que é "impossível viver de arte" ou que "se trata de uma profissão menos séria do que as outras", afirmações que a equipe do Espaço Cultural Mapati observava com recorrência. "Em 2004, constatamos que muitos jovens com aptidões artísticas não investiam no sonho porque não acreditavam que trabalhar com artes plásticas, música ou teatro constituía uma carreira. Tinham muito receio de serem repreendidos no meio social ou pelos familiares", explica a Produtora Cultural do Mapati e coordenadora do Profissão Arte, Dayse Hansa. Na época, a fundadora do Mapati, Tereza Padilha, havia acabado de inaugurar a iniciativa Se toca, Brasil, pensada para despertar o lado crítico da juventude por meio da arte. O sucesso da ideia de Tereza garantiu o surgimento do Profissão Arte, que pretende iniciar aspirantes a artistas no mercado e dar diretrizes sobre como conseguir autonomia e gerar renda por meio do trabalho produzido.

Gleicy Lima, 25, trabalhava como arte-educadora na Colônia de Férias do Mapati quando foi convidada para fazer parte da 8ª edição do projeto, em 2013. Naquela época, a jovem já sonhava em trabalhar com produções teatrais, mas não fazia ideia de como começar na área. "Infelizmente, a carreira de artista não é incentivada no Brasil porque ainda predomina a ideia de que é coisa de desocupado", opina. Hoje, a jovem dá aula de teatro infantil e realiza produções culturais dentro e fora do Mapati. Como conselho para os aspirantes a artistas, Gleicy deixa um conselho: "A trajetória é muito trabalhosa, mas a gratificação de um trabalho bem feito é maior que todo o resto. Se você gosta, vale a pena perseguir o sonho". 

Para participar

As inscrições podem ser realizadas no Centro Cultural Mapati , local onde as oficinas serão realizadas, ou pelos telefones (61) 3347-3920 e (61) 8136-3035.

publicidade

publicidade