SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

CEILâNDIA »

Morto em sala de aula

Dois adolescentes desentenderam-se, por causa de uma brincadeira, no Centro de Ensino Médio 2, na noite de ontem, e o mais novo atingiu o mais velho com golpes de canivete, primeiro nos corredores do colégio e depois dentro do recinto escolar, em frente aos colegas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/09/2015 11:21

Nathália Cardim /

Carlos Vieira
Uma brincadeira com bolinhas de papel teria causado um desentendimento entre dois alunos do Centro de Ensino Médio 2 (CEM 2), de Ceilândia, e a morte de um deles. Um adolescente de 17 anos não resistiu ao ser esfaqueado por um colega da mesma sala de aula, de 16 anos. O crime ocorreu na noite de ontem, na escola localizada na QNM 14, em Ceilândia Norte. De acordo com informações da Polícia Militar, o adolescente de 16 anos recebia ameaças do outro jovem. Por volta das 21h, eles teriam se desentendido na sala de aula após um jogar bolinhas de papel no outro.

O adolescente de 16 anos saiu da sala para ir ao banheiro quando o outro colega foi atrás. Após uma discussão, a vítima recebeu um golpe no pescoço e voltou para a sala de aula. O jovem que estava com o canivete foi atrás e esfaqueou o colega mais duas vezes.
O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados, mas quando chegaram ao local, a vítima já estava morta. O adolescente de 16 anos assumiu a autoria do crime e foi levado para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA II), responsável por investigar o caso.

No fim da noite, familiares estiveram na escola, mas não quiseram falar com a reportagem. Os funcionários do CEM 2 também preferiram não se pronunciar. Segundo uma aluna do colégio, que não quis se identificar, mas conhecia bem o jovem morto, ele era “um cara legal, porém muito revoltado com a vida”, nas palavras dela. Segundo ela, o Centro de Ensino é um ótimo colégio, que nunca teve um problema tão sério. “Isso que aconteceu foi uma tragédia”, definiu.


Memória

2013
Em 20 de fevereiro, uma menina de 13 anos foi ferida por uma bala perdida em frente à escola onde estudava, o Centro de Ensino Fundamental 3 (CEF 3), em Brazlândia. O autor dos tiros passou de bicicleta na rua do colégio e tentou acertar um adolescente de 17 anos que estava numa quadra de esportes. O motivo da agressão seria, segundo a polícia, um acerto de
contas entre gangues rivais.

2014
Em 28 de fevereiro, um adolescente foi baleado no pátio do Caseb, na 908 Sul. Após levar um tiro nas costas, o jovem foi encaminhado ao Hospital de Base, onde passou por cirurgia para a retirada do projétil. O jovem que efetuou o disparo, assim como a vítima, era aluno do colégio.

2015
Em Taguatinga, Diego Henrique Vicente Silva, 20 anos, foi assassinado a tiros dentro do Centro Educacional 6, em Taguatinga, em 25 de março. A hipótese da polícia era de que o crime tinha ocorrido por uma briga entre gangues.

Em 6 de abril, um ataque colocou em risco a vida de 490 estudantes do Centro de Ensino Fundamental 1 da Cidade Estrutural. Um homem, aparentemente alcoolizado, entrou na escola e agrediu 11 pessoas, entre funcionários e alunos.

publicidade

publicidade