SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Educação

Estudantes reclamam de truculência da PM em protesto em São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/12/2015 11:27 / atualizado em 03/12/2015 11:23

Agência Brasil

Os alunos que protestaram na manhã de hoje (2) na Avenida Doutor Arnaldo, zona oeste da capital paulista, reclamaram da truculência da Polícia Militar (PM), durante o ato. A manifestação é contra a reorganização escolar que levará ao fechamento de 93 unidades de ensino. Cinco pessoas foram levadas ao 23º Distrito Policial, na Pompeia. De acordo com o tenente da PM Diego Marcel Fernandes Dias, a maioria dos 80 manifestantes aceitou liberar a via. %u201CO problema é que tinham alguns que não aceitaram as ordens e foram se jogando pra cima dos carros, resistiram a ordem de liberar pelo menos uma das faixas%u201D, declarou. O tenente nega que tenha havido confronto e truculência. %u201CO protesto pacífico sempre é permitido, desde que seja previamente avisado ou que não bloqueie totalmente a via%u201D, disse o tenente. Os estudantes, por sua vez, disseram que a policia agiu de forma violenta. %u201CA gente estava muito pacífico, muito tranquilo. Os policiais vieram e pegaram a cadeira que a gente estava sentado. Depois foi piorando porque ninguém queria sair. Falaram que não podia bloquear tudo%u201D, disse Willian Dias de Andrade Silva, estudante da Escola Romeu de Moraes. Segundo os alunos, quando um contingente maior de policiais chegou, partiu para a agressão com cacetetes. Depredação de escolas Estudantes também disseram que policiais à paisana têm depredado escolas para culpar os manifestantes. %u201CIsso é um erro. Só fazem isso nas escolas de periferia. Não tem que fechar escolas%u201D, disse William. Ariel de Castro, advogado de direitos humanos, também denunciou a ação de policiais. %u201CTemos isso todos os dias e ontem tivemos na escola da Bela Vista, policias fardados ou à paisana para intimidar sem qualquer ordem judicial. Temos relatos de policias que promovem os danos ao patrimônio para depois culpabilizar os estudantes%u201D, declarou.

publicidade

publicidade