SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Gestão pública

MEC conquista três prêmios em concurso de boas práticas da CGU

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/12/2015 18:06

Portal MEC

O Ministério da Educação conquistou três prêmios no 3º Concurso de Boas Práticas, promovido pela Controladoria-Geral da União (CGU). A cerimônia de premiação foi realizada nesta quarta-feira, 9, Dia Internacional contra a Corrupção, em Brasília.

O concurso tem o objetivo de estimular, reconhecer e premiar iniciativas que contribuam para a melhoria da gestão pública no Poder Executivo. A seleção das melhores práticas obedece a critérios previamente estabelecidos, tais como: inovação, criatividade, simplicidade, utilidade, aplicabilidade e custo-benefício, entre outros. 

 

Os órgãos vinculados ao MEC premiados pelo concurso foram o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), na categoria aprimoramento dos controles internos pelas atividades de monitoramento de obras da educação básica; a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), na categoria aprimoramento das auditorias internas, e o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), supervisionado pelo MEC, na categoria promoção da transparência ativa e ou passiva.

Para o ministro Aloizio Mercadante, o MEC é exemplar do ponto de vista da gestão. “O Ministério se modernizou muito e tem um padrão de gestores muito dedicados, talvez pela própria natureza da atividade e por isso estamos recebendo três prêmios”, afirmou.

 

Sobre a importância nos avanços do controle e na qualidade da gestão pública, o ministro da CGU, Valdir Simão, destacou o trabalho de auxílio aos órgãos na melhoria de sua gestão. Segundo ele, a CGU tem um trabalho em quatro dimensões muito importantes, que são a prevenção da corrupção, o estimulo à transparência, a lei de acesso à informação, a ouvidoria-geral e o controle externo. “A função da CGU é definir a doutrina de controle mais adequado, disseminar essa doutrina e testar sua efetividade, atuando sempre para que os órgãos tenham instrumentos robustos de proteção, que garantam não só os resultados, mas também o cumprimento das regras”, concluiu.

publicidade

publicidade