SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

A disputa por uma creche

Pais madrugam em frente às Coordenações Regionais de Ensino em busca de uma das 5.344 vagas disponíveis em instituições próprias ou credenciadas em todo o DF. A demanda, porém, ultrapassa 21 mil crianças de até 5 anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
 Gustavo Moreno/CB/D.A Press
Mesmo sabendo que não é preciso dormir na fila para fazer a inscrição em creches do Distrito Federal, pois o critério para conseguir a vaga não é a ordem de chegada, muitos pais amanheceram nos portões das Coordenações Regionais de Ensino (CREs) em todo o DF.  As inscrições para as instituições do governo e conveniadas foram abertas ontem, e a mãe de primeira viagem Ana Carolina Aragão, 25 anos, estava logo cedo na CRE do Guará tentando um lugar para o filho Enzo, 1. “Eu cheguei aqui às 7h porque estava ansiosa. Preciso procurar um emprego para dar boa condição de vida ao meu filho e só conseguirei sair de casa se ele estiver seguro, em um lugar onde cuidem dele. Entreguei todos os documentos e espero conseguir.”

A Secretaria de Educação estima que a situação de Ana Carolina seja a mesma de mães, pais e familiares de mais de 21 mil outras crianças que procuram um lugar para cuidar dos filhos de até 5 anos. A oferta em todo o DF é de 5.344 vagas — 1.344 a mais que em 2015. O número é inferior, por exemplo, à procura das regiões administrativas de Ceilândia e Samambaia. Juntas, as duas cidades são responsáveis por cerca de 8 mil carências. A rede pública tem 39 creches espalhadas pelas regionais de ensino. Três unidades — em Santa Maria, Asa Sul e Lago Norte — serão inauguradas em 11 de fevereiro e mais outras duas estão em fase final de construção. Além dessas, há 59 creches particulares conveniadas.

O desconforto da busca por matrículas para os gêmeos de 1 ano e 4 meses é uma realidade também para o casal morador do Guará Augusto Lucatelli, 32, e Bruna Lucatelli, 27. Desde o ano passado, eles aguardam uma vaga. “Já fomos a uma escola particular perto de casa e não podemos arcar com as despesas. Além dos gêmeos, temos um filho de 5 anos, que entrou no colégio agora”, disse Bruna. Para ela, a quantidade de vagas oferecidas está aquém da demanda do DF. “Creche é um direito de todas as crianças. É um absurdo você precisar e ter que ficar aguardando. Se os meus filhos não conseguem a vaga, eu não posso trabalhar.”

Pais ou responsáveis devem ir à regional de ensino da creche de interesse e apresentar a documentação exigida. A ordem de chegada é irrelevante e estar na CRE logo cedo não garante vaga, pois as crianças são classificadas por pontuação (veja quadro). Em caso de empate, a prioridade serão mães com maior número de filhos ou a criança mais velha.

A auxiliar de serviços gerais Jéssica Regina dos Santos, 34, tenta uma vaga para o filho de 2 em uma creche conveniada no Gama, onde mora com o marido e mais uma filha de 8. “Meu marido chegou às 5h e fomos os primeiros atendidos. No ano passado, tentei a matrícula, mas não deu certo. Não considero os critérios justos. Tudo é pontuação. Se fizer parte de algum programa do governo ou se a criança tem risco nutricional, a chance é maior. Como não tenho nada disso, não vou conseguir a vaga?”, questiona Jéssica. Ela conseguiu um emprego recentemente e espera a resposta do governo para saber se vai poder ficar no novo serviço.
 
 Gustavo Moreno/CB/D.A Press
 
Ampliação

A Diretora de Acompanhamento da Oferta Educacional da SEDF, Raphaella Cantarino, afirma que o governo tem planos para aumentar a oferta de vagas, mas o processo de ampliação tem peculiaridades. “A legislação obriga o atendimento a crianças a partir dos 4 anos, o que não inclui a creche, mas há três anos temos ampliado significativamente o serviço. Essa faixa etária depende de muitos cuidados, principalmente os bebês. Para aumentar a quantidade de creches, é preciso muita cautela.” Segundo Raphaella, até julho, mais cinco unidades serão inauguradas.


Onde elas estão

» Brazlândia   —   1
» Guará   —   1
» Plano Piloto  —    2
» Lago Norte   —   2
» Planaltina   —   3
» Sobradinho  —    3
» Águas Claras   —   4
» Recanto das Emas   —   4
» Santa Maria  —    5
» Ceilândia  —    7
» Samambaia    —  12

Fonte: Secretaria de Educação do DF

Passo a passo

As inscrições nas creches públicas e conveniadas vão até sexta-feira (22). 

Os documentos necessários para solicitação de vagas são (original e cópia)

» Certidão de nascimento da criança
» Comprovante de residência ou do endereço de trabalho do responsável legal
» CPF ou RG do responsável legal

Critérios para classificação e pontuação
» Baixa renda (25 pontos)
. Crianças de famílias que participam de algum programa de assistência social
» Medida protetiva (20 pontos)
. Criança em situação de vulnerabilidade social
» Risco nutricional (15 pontos)
. Criança em estado de vulnerabilidade nutricional comprovada por declaração da Secretaria de Saúde
» Mãe trabalhadora (10 pontos)
. Criança cuja mãe trabalha formal ou informalmente

* Todos os critérios devem ser comprovados por documentação.

Fonte: Secretaria de Educação do DF

publicidade

publicidade