SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA

Ministro faz o lançamento oficial de mais uma edição da olimpíada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/02/2016 20:46 / atualizado em 25/02/2016 20:51

“A Olimpíada é um momento de fomentar, encantar e estimular a leitura e a redação.” Com esta frase, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, deu a largada à 5ª Olimpíada de Língua Portuguesa, realizada todos os anos entre alunos de escolas públicas para estimular a leitura e a escrita. O lançamento ocorreu nesta quinta-feira, 25, em São Paulo.

 

Podem participar da produção de textos alunos de escolas públicas de todo o país, do quinto ano do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio. Para Mercadante, a olimpíada é um incentivo à produção de texto, principalmente para alunos filhos de famílias não letradas e de baixa renda. “Esse é o maior desafio da escola pública: dar o direito de aprendizagem àqueles que não têm o estímulo pedagógico dentro de casa”, ressaltou.

 

O concurso tem como tema O lugar onde vivo. A intenção é propiciar aos alunos estreitar vínculos com a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade, contribuindo para o desenvolvimento de sua cidadania.

 

Prazos – É importante atentar para os prazos. A inscrição vai até 30 de abril e as escolas terão até 19 de agosto para encaminhar os textos às comissões julgadoras. Para que os professores e alunos interessados possam participar, as secretarias de educação devem fazer a adesão. Neste ano, os primeiros 100 mil professores que aderirem ao programa receberão um DVD com a Coleção da Olimpíada, com material que apresenta a sequência didática para o ensino da escrita.

 

Os professores das redes públicas estaduais e municipais podem inscrever trabalhos em quatro gêneros: poemas para alunos de quinto e sexto anos do ensino fundamental; memórias literárias para sétimo e oitavo anos; crônica para nono do fundamental e primeiro do ensino médio, e artigo de opinião para os estudantes de segundo e terceiro anos do ensino médio.

 

Em 2014, participaram mais de cinco milhões de alunos de todos os estados, mobilizando 170 mil professores. Além da produção textual, a Olimpíada dedica-se à formação de docentes, por meio de cursos presenciais e a distância, realização de estudos e pesquisas, elaboração e produção de recursos e materiais educativos.

 

Base – Durante o lançamento da Olimpíada, o ministro lembrou o importante papel dos educadores com a discussão da Base Nacional Comum Curricular (BNC). “Quem está envolvido com as olimpíadas tem que discutir o que vai ser currículo.

 

Quais são os textos que a gente tem de desenvolver ao longo do tempo para construir um currículo que tenha a ver com a experiência e a prática na sala de aula.”

 

Mercadante ressaltou que a base vai contribuir também para a mudança na formação do professor. “A relação universidade e sala de aula é um grande desafio para melhorar a qualidade da formação docente e a olimpíada é um momento de a gente refletir sobre e aprimorar a prática”, afirmou.

 

A consulta pública no Portal da Base conta, atualmente, com dez milhões de contribuições. “Sessenta por cento das escolas públicas já têm as suas contribuições no documento”, lembrou o ministro.

 

A Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o Futuro conta, além do Ministério da Educação, com a parceria da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), do Canal Futura e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

publicidade

publicidade