SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Xadrez na escola

Jogo desenvolve o raciocínio e ajuda a ampliar a concentração de estudantes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/04/2016 18:14

Portal MEC

 

Professora de educação física na Escola Estadual Princesa Isabel, em Manaus, Jaqueline Guerreiro de Mendonça apoia o xadrez nas aulas. “O jogo é uma ferramenta pedagógica importante para o desenvolvimento cognitivo das crianças”, assinala a professora, que leciona a turmas do terceiro ao quinto ano do ensino fundamental. Ela aprendeu a jogar xadrez em um curso de formação continuada oferecido pelo setor de educação física da coordenadoria distrital à qual está vinculada. “Foi amor à primeira vista”, destaca.

 

De acordo com Jaqueline, o xadrez proporciona inúmeros benefícios aos estudantes e deveria ser praticado em escolas de todo o país. O primeiro desses benefícios que ela aponta é a concentração. “Vejo que os alunos, em um primeiro momento, aprendem a se concentrar, pois cada peça tem um movimento”, diz. “Depois, vem o exercício da estratégia, pensar em jogadas possíveis.”

 

A professora aponta, em seguida, outras habilidades, como desenvolvimento da memória, velocidade de raciocínio, capacidade de solucionar problemas e poder observador. Para ela, tudo isso ajuda não apenas no desenvolvimento do próprio jogo, mas também em situações cotidianas e no aprendizado das demais disciplinas. “Nem toda criança saberá responder o que é diagonal, vertical, horizontal, mas aquela que já observou alguém falar sobre os movimentos do bispo e da torre, duas peças de xadrez, saberá”, afirma. “Isso é noção básica de direção e será usado na matemática.”

 

O aumento do poder de concentração e de desenvolvimento do raciocínio também é lembrado pela diretora da instituição, Maria Aristeia Pimentel Matos, entre os benefícios do xadrez a seus praticantes. Há 30 anos no magistério e com experiência de 15 anos na direção de instituições de ensino, Maria Aristeia revela que a escola Princesa Isabel adotou o jogo de xadrez para os estudantes há cerca de cinco anos, como opção para aqueles resistentes a atividades que exigiam esforço físico.

 

Competições — Os estudantes costumam participar de competições, com resultados satisfatórios. “Em 2016, um de nossos alunos, Thiago Souza Sobrinho, ganhou o primeiro lugar na categoria sub-10 do campeonato de xadrez da Federação Amazonense e se qualificou para o campeonato brasileiro”, diz Jaqueline. “Ainda tivemos uma aluna, Iza Beatriz Fernandes Barbosa, que ficou em segundo lugar também na categoria sub-10 do mesmo campeonato.”

 

A participação dos enxadristas em competições chamou a atenção dos demais estudantes e resultou no aumento do número de praticantes da modalidade.

publicidade

publicidade