Estudantes ficam sem passe livre

Demora no processo de recadastramento feito pelo DFTrans fez com que os acessos fossem bloqueados nesta semana, muitos perderão aulas por conta do problema. Em nota, órgão informou que aumentou o número de viagens até sexta-feira para pessoas cujo cadastro ainda não foi avaliado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/04/2016 19:10 / atualizado em 26/04/2016 21:24

Alunos da rede pública e particular do Distrito Federal que dependem do Passe Livre estudantil para frequentar as aulas relataram problemas no acesso ao benefício durante esta semana. Em um grupo de estudantes da Universidade de Brasília (UnB) no Facebook, há dezenas de relatos de pessoas que tiveram que pagar passagem porque o cartão não passou no transporte público (veja mais abaixo). Os mais afetados foram aqueles que usam mais de um veículo por dia, como BRT, metrô e duas ou mais linhas de ônibus.

“Na semana passada eu tinha 26 acessos. Na sexta-feira, quando usei o cartão pela primeira vez, apareceu uma mensagem de reconfiguração. O cobrador disse que poderia passar novamente, a catraca destravou, mas com uma mensagem de zero acessos restantes. Quando voltei para casa não consegui usar o cartão, pois dava que eu tinha excedido o limite de viagens. Na hora, por sorte, eu tinha dinheiro para a passagem. Nesta semana vou precisar escolher alguns dias para faltar. Até avisei por e-mail o professor do projeto de iniciação científica do qual participo. É muito constrangedor, mas estamos no fim do mês e eu não tenho R$ 15 por dia para gastar com passagem. Ninguém nos avisou que isso aconteceria. Entreguei meus documentos dentro do prazo e até hoje meu cadastro não foi avaliado. É absurdo”, desabafou Bárbara Moura, 25 anos, estudante do 6º semestre de pedagogia na UnB.

 

 

 

Géssica Souza, 20 anos, mora em Santa Maria e relata problema parecido. “São três ônibus para ir e mais 3 para voltar. Ontem não consegui usar nenhuma vez meu passe, mas enviei minha documentação para o site dentro do prazo, com antecedência. Quando for liberado vou ter apenas quatro acessos por dia, sendo que preciso de seis. Já havia assinado um termo ano passado justificando o aumento, enfrentei fila e esperei muito pela análise. Agora vou ter que fazer de novo. Minha situação não mudou, não entendo porque essa burocracia”, afirmou a estudante do 4º semestre de pedagogia na UnB. Géssica conta que só conseguiu ir para a faculdade nesta terça-feira porque usou o dinheiro que recebe da bolsa como estagiária.

Calouro de comunicação social, Eder Rodrigues, 30 anos, também teve o acesso bloqueado nesta semana. Na sexta-fera o estudante tinha 29 acessos, mas na segunda-feira (25) só apareceram cinco quando passou pela catraca do ônibus. “Repentinamente, os créditos sumiram”, informa. No caso dele, o recadastramento já foi avaliado, mas o sistema do DFTrans acusa falta do histórico escolar – documento que os ingressantes não precisam apresentar. “Entrei em contato com a ouvidoria por telefone. Disseram que meu caso está em análise e não deram nenhum prazo para resolver o problema”, conta.

Recadastramento
Todos os problemas parecem estar ligados ao recadastramento obrigatório dos estudantes lançado no início deste ano pelo Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), órgão responsável por gerenciar o Passe Livre Estudantil. Entre 1° de março e 1º de abril, todos os beneficiários tiveram que enviar documentos digitalizados na página oficial do programa. O prazo para que o cadastro fosse avaliado é de 20 dias úteis, mas os estudantes relatam atraso na resposta que deve ser enviada pelo órgão por e-mail.

Além disso, só quem já teve o recadastro finalizado poderá solicitar aumento no limite de 54 acessos oferecido inicialmente pelo órgão. A questão é particularmente problemática para estudantes que pegam mais de um tipo de transporte por dia, como os usuários do BRT ou metrô.

Atualização*

 

Em nota, o DFTrans informou que os estudantes que já tinham direito a mais de 54 viagens e ainda não tiveram o recadastramento avaliado, terão mais 16 passes para até 30 de abrl. Confira abaixo a resposta do órgão na ítegra.

 

Quanto tempo demora a análise do cadastro?
A análise do cadastro demora até 20 dias úteis. Os casos em questão são de estudantes que apresentaram pendências e enviaram documentos faltantes, o que automaticamente renova o prazo por mais 20 dias úteis a partir da data de reenvio.

Os estudantes precisarão pagar a passagem enquanto o novo cartão não chega?
Quem já tinha o Passe Livre Estudantil segue com o cartão liberado. A entrega de cartões novos para quem não tinha o benefício depende da conclusão do processo de análise, que leva até 20 dias úteis, desde que não haja pendências.

Como fica o caso de quem precisa usar vários passes ao longo do mês?
O sistema funciona conforme determina a lei do Passe Livre Estudantil: 54 viagens por mês, com no máximo quatro por dia. Aos estudantes que já tinham direito a mais de 54 passagens por mês serão concedidos mais 16 acessos, a partir desta quarta-feira (27). Os acessos adicionais valem até o dia 30 de abril, uma vez que o cartão será recarregado no dia 1º de maio. No entanto, é necessário que os estudantes que precisam de mais de 54 passagens entrem no site www.passelivreestudantil.df.gov.br e façam a solicitação clicando no ícone SOLICITAÇÃO DE ACESSOS. Eles deverão enviar a documentação e as informações necessárias para análise do pedido.