SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Alunos da rede particular do DF voltam de recesso a partir desta semana

Na rede pública, as férias de meio do ano começam no dia 30. Segundo o Detran-DF, discrepância atípica entre os dois calendários faz com que o impacto no trânsito seja menor

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/07/2016 20:11 / atualizado em 26/07/2016 14:41

Thaissa Leone Especial para o correio , Jéssica Gotlib /Especial para o Correio

Thaissa Leone / Especial para o Correio
Das 500 escolas particulares do Distrito Federal, ao menos 10% voltaram às aulas nesta segunda-feira (25) e 80% começam o segundo semestre letivo na próxima semana, de acordo com o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Particulares do Distrito Federal (Sinepe-DF), Álvaro Moreira Domingues Júnior. Conforme ele, pouquíssimas escolas privadas do DF seguiram a orientação da Secretaria de Educação de adiar o recesso neste meio de ano por causa dos jogos olímpicos. “Cada instituição tem um projeto pedagógico próprio e não convêm atrelar o calendário a eventos oficiais como as Olimpíadas, até porque as famílias têm um planejamento e os pais trabalham durante o mês de agosto. A maioria não teria com quem deixar as crianças”, explica.

 

Segundo Álvaro, a expectativa é que o segundo semestre seja mais tranquilo, acompanhando a tendência do cenário político nacional. “Estamos mais confiantes que tudo transcorra dentro da normalidade no resto deste ano e bastante ansiosos para receber os alunos de volta. Em âmbito nacional, as tensões políticas têm se abrandado, o que dá mais tranquilidade aos pais e, consequentemente, às escolas. Sob o ponto de vista regional, o atual governo tem lidado conosco com bastante transparência, o que nos deixa mais confiantes para trabalhar”, argumenta Álvaro.

 

Thaissa Leone / Especial para o Correio

 

Maria Carolina Caldeira,13 anos, está no 8º ano no Colégio Galois, onde o semestre recomeçou nesta segunda. Ela conta que aproveitou bem as férias e não se preocupa de ter aulas durante as Olimpíadas do Rio de Janeiro. “Eu gosto muito dos jogos e vou assistir o que puder pela TV, mas não vejo problema em ter aulas no período. Estou muito animada com o recomeço das aulas porque gosto bastante de estudar e estou curiosa para saber como vai ser o resto do ano, já que alguns professores da minha turma mudaram”, conta.

 

Também estudante do Galois, no 7º ano, Alice Gontijo de Oliveira, 12, diz estar feliz em rever os amigos e voltar para a escola. “Viajei para São Paulo durante as férias e aproveitei muito. Pretendo ir ao Rio ver a competição de judô, mas acho que isso não vai atrapalhar meu desempenho na escola. Vai ser legal ter aulas durante as olimpíadas porque ficarei próxima ao estádio e à movimentação para os jogos”, prevê.

 

Gabriel de Sousa Martin, 14 anos, 9º ano do Colégio Santa Rosa também está entusiasmado com início do novo semestre letivo. “As férias são ótimas para descansar e se preparar psicologicamente para o estudo do resto do ano. Quem se dedicou no começo do ano, volta mais confiante agora”, conta. O estudante também está alegre com os jogos olímpicos do Brasil. “As aulas não vão ser alteradas, mas pretendo assistir os atletas competindo na TV, principalmente vôlei, que é meu esporte favorito”, diz.

 

Thaissa Leone / Especial para o Correio

 

Os alunos do 5º ano do colégio Marista da 609 Sul também estão animados com o fim do recesso. “Estou feliz em voltar a estudar matemática e ciências. As férias foram muito legais, viajei para Belo Horizonte e me diverti muito. Durante as olimpíadas pretendo ver os jogos em casa”, afirma Tiago Morado, 10 anos. “Eu estou achando legal poder voltar das férias e encontrar meus amigos. Nasci no Rio de Janeiro, moro aqui Brasília e pretendo assistir competição de basquete, futebol e tênis nas olimpíadas. Vou viajar e perder algumas aulas, mas acho uma experiência incrível”, diz Tiago Perroni, 11. “Não tenho problemas em voltar para a escola. Estou muito contente em estudar português e rever meus amigos. Acho que não vou ter problemas por causa das olimpíadas, vou assistir o que puder pela televisão”, afirma Danilo Correia, 10.

 

Lucas Pantozo, 10, por outro lado, não compartilha com os colegas a boa disposição com o fim das férias. “Não estou muito feliz com a volta às aulas, mas fico contente em rever meus amigos. Passei as férias em Brasília, descansei e brinquei muito. Como gosto de futebol, quero assistir todos os jogos na TV durante as olimpíadas e estou bastante animado que o Brasil vai competir”, confessa.

 

A expectativa do presidente do Sinepe-DF é que o período letivo das escolas particulares termine até 15 de dezembro. De acordo com o Sinepe, são atendidos 180 mil estudantes em média pelas instituições privadas.

Para a rede pública, as férias estão apenas começando
Ao contrário dos estudantes da rede privada, os 470 mil alunos das escolas da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SE-DF) entrarão de férias a partir do próximo sábado (31). O secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, explicou que o atraso no recesso do meio do ano foi uma medida para facilitar a segurança durante os dias de jogos em Brasília. “Caso haja algum problema durante os eventos, é melhor não ter deslocamento em massa de adolescentes”, exemplifica. O secretário afirmou que as 661 escolas do DF tiveram um primeiro semestre mais longo neste ano. “Tivemos mais aulas e terminamos o semestre com mais dias que o comum, o que fizemos foi adiantar algumas aulas que seriam dadas depois do recesso”, comenta.

 

Ainda segundo o secretário, alguns diretores devem aproveitar as férias do meio do ano para fazer pequenos reparos. “Não dá para reformar uma escola em quinze dias, mas acredito que cada diretor vai fazer o que for necessário com o repasse do PDAF (Programa de Descentralização Administrativa e Financeira)”, informa.

 

As expectativas para o segundo semestre são boas, segundo Júlio Gregório. “As provas dos simulados do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) realizadas no primeiro semestre vão ser devolvidas agora às escolas com as correções, inclusive das redações. Começará uma nova fase, a de trabalhar esses dados em sala de aula. Os professores orientarão os alunos com base no que foi observado nos testes. Os cursinhos e aulões com professores voluntários continuarão nas regionais, eu, inclusive, darei aula da matéria mais importante de todas: química”, brinca o secretário.

 

As férias das escolas públicas terminam em 14 de agosto e o segundo semestre letivo vai até 28 de dezembro.

 

Gabriela Studart/Esp. CB/D.A Press
 

 

Trânsito deve seguir tranquilo

Quem andou pelas ruas do DF durante o mês de julho deve ter notado que o trânsito estava mais leve que de costume. Gláucia Simões, diretora de Educação de Trânsito do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran/DF), afirma que a volta das escolas particulares não deve pesar o fluxo nas ruas. “Neste ano o movimento vai ser bastante atípico porque enquanto as escolas particulares estão voltando do recesso, as públicas estão entrando. Isso deve equilibrar o fluxo”, esclarece.

 

Gláucia orienta que os pais prestem bastante atenção à segurança dos filhos durante o transporte. “Para aqueles que vão de carro, ir no banco de trás até os 10 anos é fundamental. Outro ponto é checar os transportes escolares e fechar contrato apenas com aqueles que são regulamentados”, informa.


Para quem vai a pé ou de bicicleta, a dica é sempre observar as regras de trânsito. “Crianças muito pequenas não devem ir sozinhas, mesmo que a escola seja perto de casa para evitar acidentes. A recomendação é que usem todos os equipamentos de trânsito possíveis e andem sempre no sentido da via”, diz Gláucia.


Nos dias de jogos, o esquema de trânsito será bem parecido ao que foi utilizado na Copa do Mundo, informa Gláuber Peixoto, coordenador Regional de Trânsito do Detran/DF. “No dia dos jogos, a via N1 (Eixo Monumental no sentido Congresso Nacional – Rainha da Paz) ficará fechada 6h antes do horário de início do evento da Rodoviária do Plano Piloto até o Tribunal de Contas”, explica Gláuber. A rua que margeia o estádio e o estacionamento do Mané Garrincha, por outro lado, ficarão fechados desde a meia-noite dos dias de jogos.

 

“No caso do Eixo Monumental, o maior interesse é a segurança dos pedestres, que seguirão a pé da rodoviária ao estádio. Na interdição da via marginal e do estacionamento, a intenção é evitar contato de pessoas não credenciadas com o local do evento”, esclarece Gláuber.

publicidade

publicidade