SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Educação Física

Comissões promovem mesa redonda no Ceará sobre currículos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/08/2016 17:41

Agência Câmara

As comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Educação promovem mesa redonda na quinta-feira (1º) sobre as contradições e incompatibilidades dos currículos dos cursos de bacharelado e de licenciatura em Educação Física.

O encontro regional será realizado em Fortaleza (CE) e contará com representantes da comunidade, entidades educacionais, entidades de classe e representantes do Poder Público.

De acordo com os deputados Cabo Sabino (PR-CE) e Moses Rodrigues (PMDB-CE), que solicitaram o evento, é necessário dirimir dúvidas quanto ao processo de modificação do curso de Educação Física, para a implementação das resoluções 01,02/2002 e 07/2004.

Moses Rodrigues ressalta que houve algumas anomalias nas instituições do Ceará, “tanto as instituições de ensino superior (IES) públicas quanto as particulares interpretaram as resoluções ao belprazer, sem ao menos levar em conta qualquer uma das resoluções e nem mesmo as notas técnicas que foram produzidas pelos órgãos responsáveis pelas mudanças nos currículos dos cursos de licenciatura”.

O parlamentar assinala ainda que, na transição da resolução 03/87 para as resoluções recentes, “houve distorções e manipulações para beneficiar discentes, docentes, instituições de ensino. Até mesmo o Conselho de Educação Física (CREF5) usou de suas atribuições para alterar e dar prosseguimento ao processo de manipulação das portarias 01/2002 e 07/2004, em detrimento do curso e dos profissionais de Educação Física”.

Segundo os deputados, no estado do Ceará, muitos cursos de Educação Física se mantiveram como antes e em nada alteraram seus currículos ou, se alteraram, o fizeram aparentemente em desacordo com as portarias e resoluções em vigência.

“A grande maioria não modificou seus cursos até a data prevista e alguns até hoje mantêm seus cursos de Licenciatura para Educação Básica, que variam de aproximadamente 3200 h a mais de 3700 h, de 3 anos e meio a 4 anos e meio, projetos pedagógicos similares e com a mesma matriz curricular de antes de 15/10/2005, inclusive em muitos casos descrito nas ementas dos cursos." Na opinião do deputado, existe ambiguidade da cadeiras. "Eles são completamente direcionadas para o curso de bacharelado, quando a orientação dos órgãos em documentos produzidos até hoje são enfáticos em afirmar a necessidade de características próprias para cada curso, não podendo se confundir”, reclamou Cabo Sabino.

A reunião está marcada para as 14 horas, no auditório Murilo Aguiar, da Assembleia Legislativa do Ceará.

publicidade

publicidade