SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudante de Sobradinho conquista 2º lugar em concurso nacional

Isabelle representará o Distrito Federal em projeto que simula atividades de senadores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/10/2016 13:56 / atualizado em 14/10/2016 16:36

Arquivo pessoal

 

A estudante da 2ª série do ensino médio do Colégio Militar Dom Pedro II, Isabelle Silva ,15 anos, foi selecionada para participar do projeto Jovem Senador, que ocorre anualmente em Brasília. Entre cerca de 114 mil redações, a jovem ficou em segundo lugar no ranking nacional e, agora, se prepara para elaborar projetos de lei junto a outros 26 ganhadores que representam os estados do país. Ao término dos trabalhos, as propostas podem ser acatados pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal.

Isabelle Silva mora em Sobradinho e estuda no Colégio Militar desde o 6º ano. Ela ficou sabendo do concurso por acaso na internet. “Entrei na página do projeto e achei interessante porque os vencedores vão passar pela experiência de exercer as atividades de um senador, como dialogar para elaborar projetos de lei.” A aluna que não obteve êxito em dois concursos de redação anteriores, recebeu a notícia de que havia sido selecionada para para representar o Distrito Federal em 11 de outubro. “A organização do concurso me ligou para informar o resultado. Fiquei muito feliz e um pouco surpresa. Por mais que participemos com otimismo, são inúmeras redações”, conta. O tema geral da redação foi “esporte, educação e inclusão social”. No texto, a aluna abordou a superação das desigualdades sociais, a inclusão do deficiente físico e intelectual e esporte como elemento construtor da democracia.

O preparo é contínuo no colégio já que os estudantes praticam o texto argumentativo e dissertativo desde cedo. “O resultado da redação deve-se mais às minhas experiências de vida e ao meu contato com disciplinas como filosofia e sociologia”, diz. Ela afirma que, dessa forma, desenvolveu pensamento crítico e passou a refletir sobre o outro lado das discussões. “No processo de elaborar a redação, acompanhei a situação econômica do país, os casos de desvio de dinheiro e o quanto os jogos olímpicos e paralímpicos são importantes para a formação de novos atletas e para a população em geral e os valores que isso agrega culturalmente”. Segundo a estudante, os professores de redação se comprometem muito e incentivam os estudantes a participarem de concursos dessa natureza. “Já vai fazer dois anos que o Milton é meu professor. Após as provas, ele sempre conversa com cada um dos alunos frente a frente para falar dos pontos positivos e negativos.

Milton Tavares é quem acompanha a vencedora. “Tive o privilégio de ser o professor orientador da Isabelle, pois foi muito gratificante perceber que estava sendo naquele momento um instrumento para ajudá-la a ser ainda melhor na capacidade de escrita, pois essa é uma das atividades mais difíceis”, ressalta. Ele lembra que a cada leitura que fazia das redações da aluna, sempre a estimulava para que ela fosse mais expressiva e capaz de convencer o leitor. “É um trabalho desafiador, e ela demonstrava potencial. A construção textual dela organizou a informação de modo a convencer o leitor de que o esporte é uma ferramenta de inclusão social. Dessa forma, tive o papel de garantir que a estruturação e o conteúdo estivessem em condições de serem competitivos e chegar no final para representar o DF. Para isso, não poderia ser mais um texto, tinha que ser um excelente texto”, explica.

Quanto ao método de preparação, o professor de redação diz que a equipe docente vêm trabalhando os temas que costumam cair em vestibulares e concursos do tipo. Ele acredita que o diferencial na formação de autores promissores está na maneira como se trabalha a interdisciplinaridade, ou seja, como todas as disciplinas interligadas contribuem para uma visão mais ampla, ajudando o aluno a pensar e a problematizar situações e, assim, encontrar uma solução.

Para se inspirar

"Assíduo na cultura brasileira, o esporte se configura como um fenômeno de grande relevância social. Os valores e conhecimentos adquiridos com a sua prática contribuem não só para a superação de barreiras impostas por barreiras físicas e sociais, mas também para o exercício da cidadania (...) Quem aprende uma modalidade também aprende que faz parte de um todo e que pode ser um agente transformador do meio em que vive." Trecho da redação vencedora escrita por Isabelle Silva.


Sobre o concurso

O Jovem Senador é um projeto que seleciona 27 estudantes do ensino médio de escolas públicas estaduais e do DF com até 19 anos por meio de um concurso de redação. O objetivo final é promover a experiência desses alunos como senadores. Dessa forma, os selecionados de cada unidade da federação e o Distrito Federal têm a oportunidade de participarem da edição anual que neste ano está na 9ª edição do Concurso de Redação e na 6ª edição do Projeto Jovem Senador.

A cerimônia de premiação do Concurso de Redação e a posse dos jovens está prevista para 29 de novembro. Os trabalhos no Congresso vão até três de dezembro. Durante esse período, os jovens senadores vão propor e aprovar ideias que poderão ser encaminhadas, como sugestões legislativas, à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado Federal. Depois, uma equipe de consultores legislativos analisará as propostas encaminhadas para avaliar a possibilidade e oportunidade nos aspectos constitucional, jurídico e de mérito. As ideias viáveis serão apresentadas em reuniões que simulam os trabalhos do Senado Federal, em comissões temáticas e sessões plenárias.


As sugestões legislativas poderão ser aceitas pela CDH. Desse modo, serão encaminhadas aos senadores da comissão para relatoria. Em caso de serem aprovadas, tramitarão no Congresso Nacional.

publicidade

publicidade