SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudantes do CEM 414 de Samambaia desocuparão a escola na segunda-feira

O acordo foi selado nesta sexta-feira (14) entre os estudantes, a Secretaria de Educação e a Coordenação Regional de Ensino de Samambaia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/10/2016 20:51 / atualizado em 14/10/2016 21:17

Arquivo pessoal

Em reunião ocorrida nesta sexta-feira (14) no Centro de Ensino Médio 414 de Samambaia, os estudantes que ocuparam a escola na última segunda-feira (10) em forma de manifestação contra a reforma do ensino médio e pedindo melhorias para a instituição de ensino; o secretário de Educação, Júlio Gregório; e a Coordenação Regional de Ensino de Samambaia combinaram a desocupação do local. O grupo deixará o colégio na próxima segunda (17), ocasião na qual os alunos farão uma assembleia com pais, professores, estudantes e sindicatos a fim de discutir as questões acordadas.

 

Segundo Isabella Tavares Pereira, 18 anos, estudante do 3º ano do ensino médio, o movimento cumpriu o objetivo. “Queríamos ganhar visibilidade em Brasília, impulsionar a ocupação de escolas e ter uma reunião com o MEC (Ministério da Educação); e conseguimos”, afirmou a jovem.

 

Contra a reforma do ensino médio
No encontro com representantes do MEC, alunos do CEM 414 apresentaram uma proposta própria de reformulação do ensino médio. “Acreditamos que essa reforma tem que ser acordada entre estudantes, professores e pais”, explica Isabella.

 

Como a demanda referente à Medida Provisória nº 746/2016, que reformula o ensino médio, é de escopo federal, não houve deliberação acerca do tema na reunião de hoje com a Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal (SEE/DF). No entanto, o Júlio Gregório, responsável pela pasta, assegurou que nenhuma alteração na estrutura do ensino médio será feita antes que haja debate com a sociedade.

 

“No Distrito Federal, absolutamente nenhuma mudança será posta em prática sem que tenhamos ouvido as manifestações de estudantes, professores e gestores. Não acredito em processo educacional em que todos os fatores não sejam envolvidos. Não vai ser implantando amanhã, nem no início do ano que vem. Teremos um grande processo de discussão para fazer um desfecho arquitetônico do ensino médio que atenda a todos”, declarou o secretário de Educação.


Projetos mantidos
Parte das reivindicações dos estudantes do CEM 414 de Samambaia foram atendidas. Celso Antonio Pereira da Silva, coordenador regional de Ensino de Samambaia, elenca a manutenção do projeto de redação, que designa um professor específico para a matéria; aquisição de material esportivo para a escola; manutenção dos contratos temporários para a escola; aumento nas medidas de segurança; e construção de um auditório entre os itens que serão garantidos. “O projeto do auditório está pronto, mas depende da liberação de orçamento”, explica.
 
Segundo Isabella, pelo menos mais três escolas serão ocupadas na próxima semana. Embora a desocupação do CEM 414 tenha sido celebrada por escrito, a estudante não exclui a possibilidade de voltar ao movimento, que nacionalmente tem conseguido cada vez mais adeptos. “Se mais escolas forem ocupadas e houver necessidade, sim, ocuparemos de novo.”

publicidade

publicidade