SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Dez estudantes são premiados no concurso Jovem Escritor

Cerimônia ocorreu nesta quarta-feira (19) no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, com a presença do governador, Rodrigo Rollemberg, e secretário da Educação do DF, Júlio Gregório

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/10/2016 21:05 / atualizado em 19/10/2016 21:16

Cristiano Costa/ProAtiva Comunicação

A segunda edição do concurso de redação Jovem Escritor premiou as dez melhores redações do simulado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para estudantes do Distrito Federal (DF). As dez composições farão parte de um livro com o tema “Cultura e Mudança Social”, junto a outras 90 redações selecionadas. Os estudantes premiados receberam um vale-compra de R$ 500 reais em livros das mãos do governador do DF, Rodrigo Rollemberg, do secretário da Educação do DF, Júlio Gregório e do presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas do DF (Sindigraf-DF), Pedro Henrique Achcar Verano. O concurso faz parte das atividades da 2ª Semana de Comunicação Gráfica do Distrito Federal, desenvolvida pelo Sindigraf-DF, que começou na terça-feira (18) e irá até quinta (20).
 
Para Verano, a iniciativa incentiva a leitura e escrita dos jovens. “É um papel social que o sindicato tem a oportunidade de desempenhar por meio da cultura, incentivar esses jovens a escrever melhor e a lerem mais”, afirma o presidente. Segundo o secretário de Educação, colocar os estudantes em evidência é uma forma de estimular a leitura e escrita entre eles. “Queremos formar pessoas que produzam textos, livros, romances com qualidade. É surpreendente a qualidade dos textos selecionados”, celebra. Foram um total de 22 mil redações inscritas no projeto, a partir do simulado do Enem no DF. O objetivo é que o concurso continue nos próximos anos. “Acredito que essa modelagem funcionou muito bem porque já existe um critério de correção das redações e a gente consegue alcançar um universo muito grande de alunos. Acredito que teremos um resultado melhor”, completa Verano.

Cristiano Costa/ProAtiva Comunicação
As redações foram corrigidas por professores das organizações parceiras, formados por treinamento do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), baseado nas diretrizes do Enem. “Espero que esse processo se intesifique e que mais parceiros venham. A secretaria sozinha não conseguiria investir sozinha, os parceiros foram fundamentais”, admite Júlio Gregório.  


Dos 10 alunos premiados, 9 são garotas. Segundo o secretário, o predomínio de redações feitas por mulheres é percebida também em todo o livro, para além das dez premiadas. “É surpreendente a performance das meninas, é realmente em número muito superior a dos meninos”, declara. Isabela Oliveira Moreira Santos, 17 anos, foi uma das dez premiadas. É aluna do Centro de Ensino Médio Julia Kubistchek e quer fazer medicina. “Vou usar meu prêmio para comprar livros para estudar, porque medicina não é fácil”, brinca a jovem. A redação dela disserta sobre exclusão social na cultura. “Algumas pessoas infelizmente não têm acesso à cultura. Propus uma intervenção que possa incluir esse pessoal na esfera social”, explica.
 
Laura Beatriz Gomes dos Santos, 17 anos, estudante do Leonardo da Vinci de Taguatinga, também teve o texto classificado entre os dez contemplados. A redação da jovem retratou a colonização do Brasil e sua influência na cultura. “Não esperava este resultado e estou muito feliz. A preparação é uma forma de ver como você está em cada competência e habilidade do Enem”, relata.  João Paulo Sousa Menezes, 19 anos, estuda no Dínatos COC e foi o único rapaz entre as dez eleitas. Segundo ele, que relata estar bastante satisfeito com o resultado, o resultado é  “um processo de construção ao longo do tempo”.

Cristiano Costa/ProAtiva Comunicação

Além da premiação, a cerimônia também contou com palestra sobre carreira do ex-CQC e repórter do Vídeo Show, Rafael Cortez. Ele falou aos jovens sobre ser empreendedor em sua própria profissão. “Você tem que criar suas próprias oportunidades, e não esperar que elas aconteçam. Mercado formal de trabalho está cada vez pior. As adversidades são inúmeras mas qualquer que seja o caso, você tem que ter auto estima acima da média”, incentiva. O coach Fernando Duarte também deu dicas de carreira aos jovens no evento.
 
Cristiano Costa/ProAtiva Comunicação
A educação empreendedora terá incentivo a longo prazo no Centro de Ensino Médio Setor Leste, escola selecionada para receber a formação de um dos parceiros do evento, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). “É fundamental que esses jovens vejam alternativas ao funcionalismo público, porque em Brasília isso tá muito enraizado na cultura. Empreendedorismo não quer dizer que você tem que ser dono do seu negócio, você pode ser empreendedor em qualquer área que você vá agir. É importante a gente passar essa cultura para estes jovens que estão aqui hoje”, afirma presidente do Sindigraf-DF, Pedro Verano.
 
Representantes das instituições parceiras também estiveram presentes na cerimônia de premiação, como o presidente do Sistema Fibra, Jamal Jorge Bittar; decano de extensão da Universidade de Brasília, Valdir Steink; reitor do Uniceub, Getúlio Américo Moreira Lopes; vice-reitor do Centro Universitário Iesb, Edson Machado Filho; a reitora da UDF, Beatriz Maria Eckert-Hoff; diretora-acadêmica da Faciplac, Elisa d Sousa Faria; diretor financeiro do Sinepe, professor Clayton da Silva Braga; diretor do pré-vestibular Alub, Gilmar Godoy; e o deputado distrital Israel Batista.

publicidade

publicidade