Educação integral no Plano Piloto e no Cruzeiro será fortalecida em 2017

Com mudanças nas escolas parque, onde a frequência passará de uma para cinco vezes na semana, será possível ampliar o atendimento a alunos no sistema de dez horas diárias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/12/2016 19:32 / atualizado em 23/12/2016 19:37

Andre Borges

Mudanças no atendimento das escolas parque da Regional de Ensino do Plano Piloto e do Cruzeiro vão permitir a ampliação do número de unidades que oferecem educação integral e de alunos beneficiados com esse modelo. Atualmente, seis escolas classe já atendem com dez horas diárias de aula nessas localidades, e outras seis oferecem entre sete e nove horas.  A partir do primeiro semestre de 2017, serão 17 colégios nesse sistema, que, juntos, atenderão 2.849 estudantes – hoje são 1.632.

 

Esse aumento será possível porque a Secretaria de Educação vai padronizar o atendimento de cinco escolas parque — onde são ministradas disciplinas de educação física e artes, como música, dança e artes cênicas. As unidades (210/211 Norte, 210/211 Sul, 303/304 Norte, 307/308 Sul e 313/314 Sul) passarão a atender exclusivamente alunos das 17 escolas integrais da regional.

 

Atualmente, há 36 escolas classe na regional do Plano Piloto e do Cruzeiro e os alunos frequentam escolas parque uma vez por semana, no chamado turno regular (horário das aulas). A novidade é que em 2017, no sistema de 10 horas diárias em 17 unidades classe, os estudantes frequentarão as escolas parque no turno contrário, cinco vezes por semana, por cinco horas diárias.

 

“Haverá aumento do atendimento para uma comunidade trabalhadora do Plano Piloto que precisa deixar o filho o dia inteiro na escola”, explica a coordenadora Regional de Ensino do Plano Piloto e Cruzeiro, Ana Lúcia Moura, sobre a criação de uma rede integrada de educação integral.

 

O projeto vai ao encontro das propostas de educação apresentadas em textos como o Programa Novo Mais Educação, do governo federal, a Lei de Diretrizes e Bases e os planos Nacional e Distrital de Educação.

 

As escolas parque de Brazlândia e Ceilândia têm metodologias diferentes das demais e não sofrerão as mudanças.

 

Como funcionarão as escolas parque da Regional de Ensino do Plano Piloto e Cruzeiro em 2017

 

Enquanto os alunos do período integral estiverem no contraturno, a escola classe receberá outros, em turno regular. Por exemplo: se um determinado grupo passa a manhã na escola classe, continuará o percurso pedagógico na unidade parque no período vespertino, por mais cinco horas. Assim, esse mesmo colégio poderá ofertar, durante a tarde, o ensino regular a outros estudantes.

 

“Aqueles que hoje são atendidos nas escolas parque e cujas escolas classe não serão integrais terão o conteúdo ministrado na própria unidade escolar”, garante a coordenadora Ana Lúcia. Ela explica que os professores estão habilitados para isso, que haverá acompanhamento pedagógico e que a mudança não acarretará perda de qualidade do ensino.

 

Aos pais e responsáveis foi dada a oportunidade de preencher ficha e aguardar em cadastro reserva a oportunidade de migrar do sistema regular para o integral.

 

Agência Brasília

 

 







Como funcionarão as escolas parque da Regional de Ensino do Plano Piloto e Cruzeiro em 2017