Membros do Comitê Popular de Transporte de Brazlândia foram detidos ontem

Os participantes ocuparam a Administração de Brazlândia para reivindicar mais qualidade para o transporte público e se posicionar contra o aumento do preço das passagens

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/01/2017 13:53 / atualizado em 12/01/2017 14:32

Cerca de 10 integrantes do Comitê Popular de Transporte de Brazlândia, ligados ao movimento Passe Livre do Distrito Federal, foram levados, às 20h da última quarta-feira (11), para 24ª Delegacia de Polícia de Ceilândia por ocuparem a Administração de Brazlândia. Entre eles, estavam estudantes e pessoas da comunidade, que exigiam a retomada da linha Brazlânda / L2 Norte e que as linhas que trafegam na BR 080 passassem a subir no Incra 8, tanto na ida quanto na volta. Também gostariam que fossem aberto um canal de comunicação exclusivo com o Transporte Urbao do Distrito Federal (DFTrans) junto à população para a reavaliação das linhas de Brazlândia e a construção de outros itinerários, de acordo com a necessidade da população, entre outras reivindicações.
 
Segundo informações de uma estudante identificada apenas por Ana, 22 anos, o administrador de Brazlândia, Devanir Gonçalves, queria enquadrar os participantes por crime de cárcere privado (pois os manifestantes não se retiravam do prédio da Administração e exigiam falar com ele), mas eles foram detidos por pertubação do trabalho e sossego. "O adminstrador não quis conversar com a gente. Uma das nossas propostas era fazer uma reunião pública com o Governo do Distrito Federal e a sociedade, não só sobre o aumento das passagens, mas também sobre o transporte público em Brazlândia", conta. Eles foram liberados, às 3h desta quinta-feira. (12).
 
Ainda de acordo com a a estudante, o comitê não definiu quais serão os próximos passos.