Crianças do DF apresentam cartões-postais da capital para amigos de férias

Crianças brasilienses apresentam alguns dos cartões-postais mais representativos da capital federal para amigos e primos que vieram de outros estados conhecer a cidade nestas férias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.


Brasília foi declarada, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em 1987, patrimônio cultural da humanidade. Mas o morador pouco observa a beleza e a importância histórica do Congresso Nacional, Memorial JK, Teatro Nacional, Catedral Metropolitana, Torre de Televisão, Igrejinha da 108 Sul, quadras do Plano Piloto e tantos outros monumentos. O turista, no entanto, tem o olhar do encatamento e se emociona ao conhecer in loco as obras de Oscar Niemeyer, Lucio Costa e de Athos Bulcão, vistas nos livros ou pela televisão. Foi o que presenciaram meninos e meninas que receberam primos ou amigos vindos de outras partes do país para conhecer a cidade. E os brasilienses — nossos personagens desta matéria — tiraram nota 10 na missão de guia trurístico. Confira.

	Ana Flavia Castro/Esp. CB/D.A Press


Congresso Nacional
Lucas Palacio, 9 anos, e Tales Lima, 10, apresentaram a cidade para os primos Antônio Souza, 10, e Ana Luiza Souza, 6, que moram em Vitória, no Espírito Santo. Os meninos de Brasília elegeram os lugares favoritos: Lucas prefere a Torre de TV, e Tales escolheu o Planetário. Além desses locais, os brasilienses escolheram o Congresso Nacional para a última atividade do dia.

— Levamos nossos primos para conhecer os principais pontos turísticos porque são muito famosos. É importante visitá-los para saber um pouco mais sobre quem mora aqui e o que Brasília tem de especial. Além deles, quem vem aqui tem que ir até a Praça dos Três Poderes, conta Lucas.

Após a visita guiada ao Congresso Nacional, o Pontão do Lago Sul foi a outra parada.
— Vamos levá-los para conhecer o Pontão porque é bonito e não é tão turístico, não é a primeira coisa que as pessoas pensam quando vêm aqui, garantiu Tales.

Os pequenos capixabas gostaram muito do giro.

— Preferi visitar o Congresso Nacional mesmo sabendo que o Brasil não está em uma situação muito boa. A gente pode conhecer o ponto de encontro dos deputados e senadores, o Salão Branco. É legal ver ao vivo o que conhecemos pela TV.

— Eu adorei os guardas do Palácio do Planalto, eles nem parecem ser de verdade!, disse Ana.

Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press


Monumentos
Ana Luíza de Oliveira, 7 anos, e o irmão de criação Luiz Felipe, 4, mora em Valparaíso e veio para o centro da capital apresentar alguns dos monumentos da Esplanada para às amigas mineiras que estão hospedadas na casa dela, Anna Luíza de Souza, 7, e Maria Eduarda de Souza,10. As irmãs vieram de Araguari (MG) e estão encantadas com as belezas arquitetônicas.

Como uma boa guia em formação, a mocinha que vive no entorno do DF é curiosa e sempre pergunta a função de cada prédio da Praça dos Três Poderes. Além da catedral de Brasília, ela ama as obras de arte expostas no Museu Nacional e sabe qual é o melhor momento para desbravar e aprender com os monumentos construídos no Plano Piloto.

— Recomendei que elas conhecessem o Museu Nacional, porque gosto muito das pinturas e das outras artes que estão lá. E o melhor horário para se visitar é pela manhã, porque o clima não está muito quente. Diz a valparaisense.
As moradoras de Araguari ficaram empolgadas com tantas opções para visitar e pretendem voltar em outras oportunidades. Para isso, elas garantem que seguirão os conselhos de Ana Luíza e virão cedinho nas próximas vezes para aproveitarem por mais tempo o passeio e fugirem do sol forte.

— A capital é diferente da minha cidade, porque os prédios de lá são menores, observa Maria Eduarda, que veio a Brasília pela primeira vez.

Caminhada pela Esplanada
A moradora do Gama, Ana Julia Sousa, 11 anos, levou a amiga Jordana Sousa,12, que veio de Tom Aquino, em Mato Grosso, para conhecer o que o Distrito Federal tem de melhor. A anfitriã apresentou pontos como Congresso Nacional, Palácio do Planalto, Catedral e Ponte JK. O lugar que Ana Júlia mais gosta é o zoológico, mas, por causa do tempo corrido, essa programação ficará para a próxima vez que a amiga estiver por aqui.
— Em outra ocasião, quero levar a Jordana para ver o tigre branco e a natureza, promete Ana Julia.
Para seguir firme e animada no passeio, Ana Julia orienta que os turistas tomem bastante água para não se desidratarem e afirma que o lugar é um ambiente propício para aprender. Jordana concorda com isso e disse que a volta em torno da capital pode contribuir para o desempenho escolar, em matérias como geografia e ciências. Uma das coisas que a dom-aquinense aprendeu é a função dos prédios na Esplanada.
— De modo geral, é um lugar onde os políticos resolvem problemas, conclui Jordana.

Santuário da Mãe Rainha de Schoenstatt e Torre de TV Digital
Helena Carmargos, 8 anos, apresentou o Santuário da Mãe Rainha de Schoenstatt, localizada na DF-001, km4, próximo à Torre de TV Digital) aos primos paulistas, Clara, 11, e Henrique Camargos, 15. A moradora do Park Way veio com os irmãos Cecília, 5, e Felipe, 2, e se encarregou de mostrar o local aos visitantes. Depois das orações, ela diz que dá para se divertir no parquinho que fica ali por perto, além de admirar a linda paisagem:

— O visual é bonito e a natureza está muito presente. O melhor horário para vir aqui é pela manhã. Recomenda Helena.

Os gêmeos Davi e Lara Gomes, 7, vieram com o grupo e também dão ótimas dicas de diversão para quem é de fora. O Lago Paranoá é um dos pontos imperdíveis:

— O lago é fundo e para nadar tem que colocar colete salva-vidas. Lá podemos andar de barco, de jet ski, de lancha… Dá pra fazer de tudo! E é melhor ir no fim de semana, quando se está mais livre. Observa Davi.
— Gosto de visitar shoppings, o Parque da Cidade e a Igrejinha da Mãe Rainha. Dá até vontade de ficar aqui. Admira Lara, que indica o lugar a todos que ainda não o conhecem.

Os irmãos turistas Clara e Henrique aproveitaram as férias escolares para passarem alguns dias com os primos e estarem mais próximos do meio ambiente. Eles gostaram do templo religioso, chamando atenção para a arquitetura alemã da igreja e para vista panorâmica.

— Dá para aproveitar a natureza porque Brasília tem muito verde, muitas árvores. O turismo aqui é diversão a qualquer hora e em qualquer lugar. Gosto das plantas, das flores, destacou Clara.

Os paulistanos também deram uma passadinha na Torre Digital (que ainda está fechada para visitação, mas que impressiona pelo tamanho) para finalizar roteiro programado para o dia. Eles achara a estrutura do munumento parecida com as conchas do Congresso Nacional, obra do arquiteto Oscar Niemeyer.
— Daqui é possível ver a cidade por inteiro, inclusive a ponte JK, com os três arcos, o lago, as casas... Acho que a torre tem uns 100 metros. Analisa Henrique.


Memorial JK
Os irmãos Victor Duarte, 10 anos, e Laura Duarte, 12, vieram de Niterói (RJ) para conhecer a capital. Eles deixaram o calor intenso da cidade onde vivem para experimentar o clima inconstante de Brasília, com sol e chuva. Hospedados em um hotel, a dupla bateu ponto em vários lugares famosos e importantes no centro político do Brasil: Memorial JK, Congresso, Palácio Itamaraty, Palácio da Alvorada, Museu Nacional, Catedral Metropolitana e Santuário Dom Bosco.

— Tem praias em Niterói, mas aqui há muito mais árvores e museus para se visitar, constatou Victor.
A irmã também viu de perto todos aqueles monumentos e observa que as torres da Câmara dos Deputados e do Senado parecem maiores quando vistas pela televisão.
— Brasília é cidade onde fica o presidente. O mais famoso deles foi Juscelino Kubitschek. As visitas por aqui enriquecem meus conhecimentos sobre história do Brasil, explica Laura, encerrando o tour no Memorial JK.

*Estagiários sob supervisão de Ana Sá