SIGA O
Correio Braziliense

Manifestação na SES-DF: terceirizados reivindicam pagamento de salário

Funcionários cobram salário, 13º de dezembro, tíquetes de alimentação e vale-transporte referentes aos meses de janeiro e fevereiro que não foram pagos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/02/2017 12:30 / atualizado em 03/02/2017 13:36

A manhã desta sexta-feira (3) começou movimentada na sede da Secretaria de Estado da Educação do Distrito Federal (SES-DF). Cerca de 1,6 mil funcionários terceirizados protestam pela falta de pagamento do salário e do 13º de dezembro de 2016, e os benefícios como, vale-transporte e tíquete alimentação, referentes ao mês de janeiro e fevereiro deste ano,segundo o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação, Trabalho Temporário, Prestação de Serviços e Serviços Terceirzavéis no Distrito Federal (Sindserviços).


O ato ocorre desde às 9h e os terceirizados estão dispostos a ficar no local até que haja negociação. “Nossa luta é para saber onde está o erro dos pagamentos porque fica esse impasse entre o governo e a empresa. Queremos que a secretaria de educação chame o responsável pela empresa e resolva a situação”, afirma Washington Alves , diretor do Sindserviços.

 

Maria Oliveira dos Santos, 46 anos (foto), é auxiliar de serviços gerais em uma das escolas do DF, com medo de represálias por parte da empresa, ela não quis revelar o local de trabalho. “Eu estou vivendo de ajuda, não tenho dinheiro nem para comprar as coisas para dentro de casa", revela.

 

Confira fotos da manifestação


 

José Luz Santana Gama, 48 , está de férias, mas não recebeu o pagamento. “Tenho água, luz, prestações, e ninguém quer saber se não estou recebendo salário. Quero saber se a empresa vai pagar com os juros que o banco está cobrando pelo atraso nas contas”, disse.

 

Rosangela Alves da Silva, 56, conta que a empresa em que presta serviços pagou o salário de janeiro. “O que falta é o 13º e os tíquetes. É um pouco complicado porque falta o alimento em casa, falta o necessário. Sei que estamos em época de recessão, mas nós precisamos do dinheiro”, ressalta.

 

Em negociação com o subsecretário de administração substituto da da SES-DF, Francisco das Chagas Paiva da Silva, os diretores do Sindserviços conseguiram a promessa de que até o final da tarde será feito o repasse de 4,8 milhões a empresa Juíz de Fora, que pagou parte dos salários aos 3mil trabalhador. Outros 2 milhões também devem ser repassados a empresa Servegel, que tem cerca de 800 funcionário. O débito de ambas empresas é com relação aos benefícios e 13º salário.

 

O Sindserviços informou ainda, que não haverá repasse às empresas G&E e Real JG Serviço. Diante disso, os trabalhadores seguirão com o ato para a Secretaria de Fazenda.

 

Aguarde mais informações.